JURA EM PROSA E VERSO

TUDO SOBRE...

TUDO SOBRE... VAMPIROS!!!

Misterios

Introdução

A definição comum para "vampiros" que encontramos em dicionários é de um cadáver reavivado que levanta do túmulo para sugar o sangue dos vivos. Essa definição de um modo geral se adapta ao Conde Drácula, o mais famoso dos vampiros, mas essa definição de modo algum se encaixa em todos os tipos de vampiros. Nem todo vampiro é um corpo ressuscitado, inúmeros deles são espíritos emoníacos desencarnados. Os vampiros também podem aparecer como espírito encarnado de um morto que retém uma existência substancial. Da mesma forma os vampiros, às ezes, emergem como uma espécie de vida inteligente, que possivelmente é produto de uma mutação genética, ou ainda seres humanos normais que tem o incomum hábito de se alimentar de sangue ou um poder psíquico extraordinário, como "drenar" as pessoas emocionalmente. O vampiro sendo ou não, uma alma utilizando um corpo morto, que não se decompõe, seus pensamentos refletem sobre seu espírito, só que de uma maneira diferente, já que quando seu corpo deixou de viver junto com a vida levou embora muitos pensamentos e sentimentos. Mas por que sendo tão poderosos, os vampiros não dominam o mundo? Nós não possuímos essa ambição como os mortais, a única coisa que desejamos dos humanos é escondermos, pois só queremos continuar a vida do jeito que está sem mudanças, afinal nosso destino é vagar alimentando, fingindo que não vivemos na situação na qual nos encontramos.. Mesmo assim nos paira um sentimento, um sentimento um tanto estranho para quem é imortal. Esse sentimento é o amor...Nós conseguimos amar algo, na maioria das vezes um ser humano, nossa paixão é sempre devido a beleza ou uma grande paixão pela vida. Mas costumamos negar esse sentimento e fugimos do ser amado, talvez por medo que o amor tomasse conta de nós vampiros, viveríamos apenas em função da paixão.

Sangue

Sim! Nós bebemos do sangue dos que ainda respiram e o sangue humano é a substância mais sublime que nós podemos saborear. E também é a única. Ela satisfaz nossa fome, como a fome dos humanos, mas além disso, nos fornece uma incrível sensação de coito, como num ato sexual, só que muito mais poderosa do que isto. Não me lembro de ter tido qualquer ato sexual tão extasiante quanto a pior de minhas refeições. Também não creio que qualquer outro que não de nossa espécie o tenha feito. Precisamos do sangue freqüentemente para nosso sustento. Pode parecer cruel para vocês mortais, e pareceria cruel para mim mesmo se ainda fosse um mortal, só que não podem nos culpar por isso. Somos uma espécie que luta para viver. Caçamos nossas presas assim como vocês matam bovinos, suínos e outros animais menos inteligentes para os mesmos fins. E vocês são ainda piores, sem querer ofender, porque matam também por esporte. Caçam animais em extinção para obter partes de seus corpos apenas por dinheiro. Somos seus predadores assim como um tigre é o predador de uma lebre. Mas vocês nunca extinguiriam um tigre por matar uma lebre. Então não podem achar justo querer nos matar porque praticamos o único ato que nos mantém vivos. Mas ainda assim, os que tomam conhecimento de nossa existência, o fazem.

BESTAS

Não somos bestas assassinas como as que você provavelmente viu num daqueles filmes nojentos de terror. Não perambulamos maltrapilhos pelas ruas, rosnando e gemendo, à procura do sangue. Depois da transformação, é sabido que nos afastamos completamente de nossos antigos hábitos porque seria deveras evidente para um familiar ou conhecido nos identificar como um novo ser. A transformação muda muito nossa aparência e nossa necessidade. Nós temos uma facilidade de conseguir empregos noturnos e bem remunerados, porque existe uma infra-estrutura vampira, alheia aos mortais, que garante o nosso bem estar. Podemos estar entre vocês e mesmo assim nunca saberão que o seu patrão, o diretor de sua escola, aquele vigia noturno ou mesmo o bispo de sua igreja na verdade é um vampiro imortal, que como qualquer outro, dedica parte de sua noite à caça ao sangue. Em geral somos vaidosos, porque procuramos ocultar ao máximo nossa aparência. A maquiagem é necessária se quisermos ter uma pele mais rosada. As roupas longas também escondem partes de nosso corpo, até mesmo quando num país tropical. E existe um antigo lema entre os vampiros que diz: "Devemos ser fortes, bonitos e sem arrependimento."

Interior

Talvez esta seja a característica mais marcante, infelizmente, na vida de um vampiro. Todos nós temos nossos instintos, mortais e imortais. Homens humanos contentemente sofrem uma ereção do pênis simplesmente ao ver uma fêmea da mesma espécie, ao mesmo tempo que uma mulher perde toda a sua racionalidade ao ser tocada em seus pontos heterógenos. Tudo isso para assegurar a propagação da espécie. Da mesma forma, existe um instinto, mil vezes mais forte, que nos induz a desejar o sangue. É como uma consciência interior, que nos avisa de que o alimento é o sangue, e dele devemos beber. É extremamente difícil de ser controlado, visto que como qualquer instinto, toma conta de nossos pensamentos e anestesia o que chamamos de racionalidade, até que a Fome esteja saciada. A parte mais cruel é que, se estivermos muito famintos, podemos atacar um ente querido, um amigo, alguém que esteja do nosso lado. Podemos até cometer canibalismo contra outros vampiros. Entenda que por mais conscientes que somos, os mortais não passam de ossos de cálcio envoltos por uma carne macia regada ao líquido que nos seduz. Verdadeiros petiscos. Todos vocês são lindos. Da mais carismática criança até o mendigo mais sugismundo, vocês são criaturas lindas para nós. Desta forma, com esse instinto que ao mesmo tempo assegura nossa sobrevivência nos pondo num estado inconscientemente predatório, também nos põe num estado posterior de remórcio e depressão. Imagine você mortal o que seria se acordasse de um transe sonâmbulo e se descobrisse que durante o sono matou toda a sua família? Tente imaginar a situação. Como se sentiria? Ao mesmo tempo que o vampirismo é uma glória que nos torna seres híbridos, também é uma maldição que nos condena ao sofrimento eterno.

Imortalidade

Nem todos possuem a energia para a imortalidade. Nem todo o vampiro consegue viver para sempre como um assassino. Se já leu ou viu Interview With The Vampire (Entrevista Com O Vampiro), vai entender isso pelos olhos do Vampiro Loui. Muitos de nós somos como ele. E mais ainda. Assim como não podemos viver sem sangue, não podemos viver muito tempo sem um companheiro vampiro. O instinto interior que nos acompanha desde a Transformação nos faz nos apaixonarmos com muita facilidade. E logo encontremos alguém com quem desejamos estar para sempre, alguém que não queremos ver ser tragado pelo tempo, pela velhice, e pela morte, tornado-o um como nós. Não podemos viver entre os mortais. Não podemos nos aproximar muito daqueles que têm o privilégio de envelhecer. De morrer. De nascer de novo para uma nova vida. Imagine você se fosse um de nós. Um imortal. Alguém para quem o tempo nada significa além de algo que passa, leva o que era velho e traz o novo para mais perto. E você fica. Intacto. Você provavelmente, em alguma ocasião, irá se apaixonar por alguém. Entenda que nossa paixão não significa a união de dois seres como num casamento. Não representa sexo. Pode ser alguém que se tornou seu melhor amigo. Uma senhora que lembra sua mãe em vida. Um velho sábio. Alguém que nasceu com um dom que te encanta, ou mesmo uma musa, uma mulher, que consideras como sendo sua alma gêmea. Você deixaria essa pessoa viva? Deixaria que o tempo a levasse, que esculpisse rugas em seu corpo e enfraquecesse sua vitalidade até que numa iminente ocasião, não seja mais nada além de pó? Deixaria que a imortalidade o privasse de ficar com essa pessoa para sempre? Eu duvido muito. Não conheço muitas exceções. Certamente presentearia o teu amor com o Dom Negro. Com O Presente Das Trevas. Com A Maldição. E assim, consuma-se a transformação. Agora você, como a maioria de nós, tem alguém a quem amar. A quem dividir sua eternidade. Isso às vezes alivia a dor de nunca morrer.

TRANSFORMAÇÃO

É possível a transformação de um mortal em um imortal? Sim e é muito simples. Para transformar um mortal em vampiro, basta que o Senhor das Trevas, sugue todo o sangue da pessoa, e então próximo ao coração da vítima ele crava as garras jorrando seu próprio sangue e fazendo com que este bombeie em seu coração. Mas existe um porém, nós só condenamos um outro ser às trevas se o amamos ou idolatramos, mais do que nosso próprio sangue. Logo após o ato há uma espécie de transe no qual o humanos ficam fora de si, perdendo um pouco a razão, como se estivesse drogado. Depois de passado essa fase, ele já é considerado um imortal e há um ligeiro sentimento de medo, seguido de um esquecimento do que aconteceu. Pensam ainda ser mortais, mas com o passar do tempo e com as sensações e insucessos ao tentar ingerir alimentos, os Vamps (que são vampiros com menos de 100 anos de idade) vão entendendo o que está acontecendo. Logo no começo os Vamps, que não se deram conta que não são mais humanos, tentam levar a vida que levavam antes, mas é claro que não conseguem, primeiro vem as insatisfações ao tentar deglutir os alimentos. Depois vem a estranha atração ao sangue, seguido esses sentimentos os Vamps começam a perceber o que já não fazem mais parte do mundo que eles nasceram, e sim de um outro mundo em que eles acabaram de morrer. Então os Vamps fogem de suas famílias e se alojam em sempre muitos lugares diferentes, (esse é o destino da maioria das pessoas que se dizem desaparecidas). Quanto ao contato físico e relações sexuais com outras pessoas. Os Jovens até tentam e podem conseguir algum tipo de relação, mas isto é inútil pois não há qualquer tipo de prazer ou mesmo sentimento, para o vampiro a única fonte de prazer é o ato, o ato seria comparado na nossa sociedade com o orgasmo, para os vampiros não há gosto melhor do que o desfeche perfeito de um ato.

APARÊNCIA

Nosso corpo permanece como era no momento de nossa morte, os músculos e nervos estão atrofiados e a pele estica um pouco sobre os ossos, como acontece com os recém-falecidos. A pele tem uma cor clara e pálida, devido a falta de circulação e a vida noturna, longe dos raios do Sol, mas adquirimos um tom mais rosado e um calor mais humano após a alimentação devido a passagem do sangue pelo tecidos. Como não possuímos células de defesa, ficamos vulneráveis a radiação emitida pelo Sol ou pelas chamas do fogo. Nossos olhos variam muito de cor, sendo que a maioria dos vampiros possui uma cor próxima ao castanho ou uma coloração amarelada, que na hora da ação se transforma numa cor mais esverdeada. Isso acontece porque somos criaturas extremamente noturnas e necessitamos de uma adaptação para melhor enxergarmos no escuro, sendo assim os olhos absorvem muito mais a luz, por isso são bastante claros e estranhos. As unhas tem textura parecida com o vidro, só que mais resistentes, sendo muito difícil quebrá-las. Lembram muito as unhas dos felinos. Os cabelos permanecem exatamente iguais a como eles eram antes de serem vampirizados. Se cortado, o cabelo cresce de novo, até adquirir o tamanho e forma original, mas esse processo não é instantâneo, demora horas e horas, ou até dias. Nossos caninos são longos e pontiagudos para melhor sugarmos o sangue, mas eles só alcançam a extensão máxima no momento do ataque, permanecendo o resto do tempo retraídos em seus alvéolos. As células estão paradas e não se reproduzem, os órgãos vitais estão bloqueados e os pulmões já não respiram mais, embora muitos vampiros tenham aprendido a simular a respiração enquanto estão juntos aos mortais. O sangue fresco da vítima fornece a pequena quantidade de oxigênio necessária para nos sustentar . Temos um ótimo sistema imunológico, somos imunes a qualquer doença mortal. Correm boatos de que algumas doenças mortais, como o E-bola, podem chegar a matar um vampiro porque faz com que a vítima expila todo o sangue. Nós também podemos regenerar rapidamente de qualquer ferimento. Por termos o sangue super forte e concentrado, as plaquetas agem milhões de vezes mais rápido que nos humanos. Só não podemos regenerar de queimaduras solares ou por fogo porque o sangue fica bastante aquecido quando queimado e perde temporariamente suas propriedades até que abaixe a temperatura.

SARCÓFAGOS

Quando o sol se encontra acima de nossas cabeças, ninguém nunca pode explicar por que, atingimos um estado de incontrolável sonolência. É extremamente difícil nos movermos durante o dia ou a tarde, e por isso, temos que ter bastante cuidado ao escolhermos um lugar para dormir. É preferível um porão. Um lugar embaixo da terra, onde não exista risco de que num acidente qualquer os raios do sol venham a penetrar no aposento. Alguns apenas cobrem suas janelas com algo que impeça a passagem da luz. Os mais antigos ainda dormem em caixões, ataúdes, ou sarcófagos. Os mais jovens já não se separam do confortável espaço de uma cama. De uma forma ou de outra, o importante é que, de maneira alguma, o vento solar toque nossa pele, que provavelmente entraria em combustão espontânea. Com o passar do tempo, um vampiro aprende que NUNCA, JAMAIS, SE DEVE CONFIAR EM NUNGUÉM. Nem mesmo em seu melhor amigo. Ninguém pode saber onde passamos nossos dias. Os que sabem, como vizinhos e pessoas que nos vêem entrar em casa, não devem nos conhecer. Nunca nos aproximamos de nossos vizinhos porque costumam ser bastante curiosos. Deve haver apenas uma única cópia da chave do refúgio, e ela deve ficar com seu dono, porque é a única garantia de que tudo estará lá quando necessário. E sua segurança deve ser extrema. Trancas poderosas provam-se úteis nos momentos mais inesperados. E muito comum também, é o uso de trancas inteligentes, como as antigas alavancas de estante ou as modernas trancas de senha, que apenas o proprietário sabe como abrir.

Sociedade

Como os mortais, precisamos interagir com o mundo. Temos que sair todos os dias para trabalhar, nos alimentar, nos divertir. Em fim. Durante grande parte de nossa pós-vida, entramos em contato com mortais. É o seu empregado, advogado, contador, professor, colegas de bar, além daqueles que você nem mesmo conhece, mas é obrigado a dialogar como caixas, vendedores, oficiais, etc... E para isso, a parte mais difícil de nossa máscara, há uma grande sociedade que provê uma infra-estrutura que garante o nosso lugar na sociedade de vocês. Grande parte de nós, os mais velhos principalmente, conseguimos juntar uma considerável soma em dinheiro desde os tempos mais antigos. Esse dinheiro está hoje sendo investido em todas as bolsas de valores do mundo, e assim garante o sustento de um grupo seleto de imortais no qual eu também me incluo. Algumas vezes, precisamos entrar em torpor. Dormir durante décadas ou até séculos. Por esse motivo, costumamos usar as imortais contas da Suíça, criadas especialmente para nós, que não podemos nos identificar, pois mudamos de identidade de tempos em tempos. Outros preferem roubar daqueles que se alimentam. Eu faço isso geralmente para confundir as autoridades e fazer com que pensem que a vítima foi assaltada. E isso somente quando mato, porque não se deve matar toda a vez em que se alimenta. Mas certamente, o dinheiro que eu recolho dos corpos de minhas refeições não pagam nem a minha conta de telefone ou mesmo o meu provedor.. Mas também existem aqueles que trabalham, e outros, como eu, que freqüentam uma faculdade, um curso, ou uma escola. Para nós, é fácil conseguir empregos noturnos. Se desejamos cursar algo e não existem cursos disponíveis em horário noturno, fazemos com que sejam. Temos a proteção dos poderes Político, Legislativo e Judiciário porque de certa forma, dominamos o mundo e controlamos toda a política mundial. A ONU, por exemplo, foi fundada por um de nós. E alguns países que não desejo mencionar, têm vampiros sentados na cadeira da presidência. Não leves isso como uma ofensa, mas os humanos não têm a competência para comandar. São deveras irresponsáveis e estão sempre criando problemas. Por isso tomamos esta responsabilidade de vocês.

COMO SUSPEITAR E RECONHECER UM VAMPIRO

O vampiro é um ser eminentemente noturno, pois é esse período que os canais de transferência energética estão livres para que o mal transite livremente. Por isso, dificilmente uma pessoa que desperta com o sol e repousa durante a noite terá poder para beber na fonte da eternidade. O sol cria a vida, mas da mesma forma a consome, garantindo o ciclo do planeta no qual habita. Por isso, fugimos de seus raios, pois sabemos que eles tornam a existência carnal temporária. Por isso, escolhemos a noite para viver, nesse período, podemos estudar os meios que nos garante a eternidade. É comum ver pessoas que saem somente a noite, que evitam o contato com o sol e, quando o fazem, se protegem com óculos escuros, para que sua pupila não se influencie com as cores do brilho solar. Na casa de um vampiro, as luzes ficam acesas até alta horas da madrugada e só se apagam com o desaparecimento da estrela da manhã. Dormimos enquanto os outros seres trabalham para garantirem a sobrevivência. Nossos hábitos são diferentes dos das pessoas comuns. Somos estudiosos e prolixos quando desejamos seduzir alguém ou conseguir vantagem. Possuímos um aguçado sentido pra saber quando estamos em perigo e somos rápidos para escapar das ciladas que são armadas em nosso caminho. Também sabemos o momento certo de aparecer num determinado local e o momento de desaparecer quando assim convier. Gostamos de conversar olhando fixamente o interlocutor, para podermos enxergar um pouco além da massa que reveste o corpo. Gostamos de beber álcool, mas jamais somos vistos embriagados. O nomadismo é outra característica comum aos mortos-vivos, porque, depois de semearmos a destruição pelos lugares por onde passamos, despertamos a desconfiança da população recebendo represálias. Por isso, mudamos constantemente de cidade e de país. Isso explica nossa afinidade entre os ciganos, que não nos teme nem somos submetidos à sua vontade, por conhecermos os segredos que nos rodeiam. É comum os vampiros viajarem ocultos dentro das carroças dos ciganos. O maior problema que encontramos pra a locomoção é o fato de termos que carregar junto de nós sempre uma quantidade de terra extraída do local onde nascemos. Nossos corpos terão que repousar sob essa terra natal para podermos encontrar forças para a peregrinação noturna. Durante esses trajetos, permanecemos dentro dos caixões, como mortos, para libertarmos somente com a chegada ao destino.

O Ultimo Refugio aos imortais

É evidente que nós nos escondemos muito bem de vocês. Ou você poderia acreditar no que eu estou dizendo, e nossas pós-vidas se tornariam um inferno ainda maior do que já é. Sim. Nós somos mais fortes fisicamente e sobrenaturalmente. Também somos mais inteligentes, visto que a inteligência só tende a aumentar com o passar das eras. E também a maturidade. Assim como muitos, posso matar um mortal apenas com um olhar, e faço uso disso quando desejo me alimentar, ou mesmo me livrar de uma testemunha. Mas vocês são muito perigosos para nós, em vista de sua maioridade numérica. Existem certa de dez mil mortais humanos para cada membro de nossa classe. Se o conhecimento de predadores humanos chegasse aos ouvidos das autoridades, ou mesmo de fanáticos religiosos, como aconteceu há alguns séculos atrás na Santa Inquisição, nossa espécie entraria em extinção. Por esse motivo, nós temos muitas precauções quanto a vocês. Por um acaso já viu um cadáver? Depois de algumas horas, ele se torna pálido, devido à parada da corrente sangüínea. Seu corpo, a pesar de duro, fica muito elástico, por causa da inércia dos músculos. As veias e artérias se tornam evidentemente azuladas, devido ao ressecamento do sangue. Todas essas características também se adequam a nós. Se nos visse nus, sem absolutamente nada ocultando nossa mórbida aparência, indubitavelmente que perceberia como somos diferentes. É por isso que nos preocupamos muito em tomar certas providências.

Destruição

Somos praticamente imortais. O tempo não nos afeta. A velhice não nos alcança. Uma espada pode nos decapitar, ou até nos cortam ao meio, mais o lado em que ficou o coração cresce novamente. Um tiro pode nos perfurar ao meio, e isso dói tanto quanto em vocês, mas a bala é expelida e a regeneração não demora mais que alguns segundos. Um .38, por exemplo, cicatriza em menos de 10 segundos, enquanto um .457 leva um pouco mais de tempo. Mas isto é relativamente irrelevante. Podemos cair de uma aeronave, e ter nossos corpos esmagados e os membros separados pelo impacto, e isso seria horrivelmente doloroso, mas nosso corpo levaria poucos minutos para se reformar novamente, igual a como estava antes da fatalidade. As chamas de uma vela ou de uma superfície muito quente nos queimariam como a vocês, mas nos regeneraríamos quase que instantaneamente, na mesma velocidade em que somos queimados. Pelo que sei e acredito, só existem duas coisas que podem destruir um vampiro. Uma fogueira extrema, como a de uma fornalha ou de um crematório, ou uma pira de execução. Consumiria-nos depressa demais para conseguirmos nos regenerar. Seria uma luta exaustiva. O imortal tentando refazer seu corpo, e o fogo o comendo de fora para dentro, em velocidade superior. Isso seria realmente terrível. E a outra forma, é a mais aterrorizante que conheço. O Sol. Ninguém ainda descobriu que energia existe em seu vento solar, inofensiva aos vivos, que tanto nos afeta. Alguns poucos segundos expostos à sua luz celestial e cada célula de nosso cadavérico corpo entra em combustão expontânea, e morremos em menos de um minuto, como se fossemos atirado à mais quente fornalha. Mas hoje em dia já é possível ver vampiros andando em plena luz do dia quase expondo-se ao sol. Isso é graças aos incríveis produtos farmacêuticos existentes, usando apenas um protetor solar total, podemos nos expor no sol. Mas isso, apenas dá a possibilidade de vampiros também andar durante o dia, e não viver durante o dia. Quando um vampiro é destruído, sobra apenas o que seria de seu corpo se não fosse conservado pela vampirização. Um vampiro criado à 24 horas se tornaria um cadáver normal. Um de 24 anos seria apenas um esqueleto enquanto aquele de 24 séculos, imagino eu, não seria nada além de pó.

ÚLTIMO AVISO AO MORTAL

Agora, mortal, já sabes demais. Porém não me importo. O conhecimento que te dei nestas linhas mal escritas, é apenas um aviso, de que existe muito mais por trás do obscuro véu da noite do que bêbados e marginais. Você não se encontra mais no topo do sistema alimentar, e pode ser sugado a qualquer momento. Ou pior, pode ser transformado num de nós, e obrigado a sugar todas as noites. Não penses que isto é tudo. Ainda há muito mais. Coisas que não interessa a você saber, coisas que poderiam revolucionar a sua forma de pensar. Coisas que nem eu mesma sei. Eu espero que não saia matando o primeiro ser suspeito de pertencer à nossa espécie quando estiver na rua. Não irá conseguir e provavelmente estará cavando sua própria sepultura. Também não fique com medo de que um dia você venha a ser uma vítima de nossas presas. A morte pelo nosso Beijo geralmente é prazerosa para a vítima assim como é para o vampiro, além de que muitas vezes o vampiro suga tão pouco que a vítima nem fica sabendo do ocorrido. Mas preste atenção para a verdade. A realidade é muito mais do que você imagina ser. A ciência ainda não explicou 1% do que realmente existe. Continue navegando. Aproveite a chance que lhe foi dada. Você acredita em sorte? Eu não. Prefiro acreditar em destino. Vida longa a ti e a sua família!