JURA EM PROSA E VERSO

TUDO SOBRE...

Concílio (Relação de todos os concílios)

Um concílio é uma reunião de autoridades eclesiásticas com o objetivo de discutir e deliberar sobre questões pastorais, de doutrina, fé, e costumes.

Os concílios podem ser ecuménicos, plenários, nacionais, provinciais ou diocesanos, consoante o âmbito que abarquem.

O primeiro concílio ocorreu em Jerusalém, conforme pode ser lido no livro dos Atos, quando os Apóstolos reuniram-se para tratar sobre os temas que estavam dividindo os primeiros cristãos: de um lado os judaizantes (judeus convertidos) e do outro os gentios (não-judeus também convertidos, boa parte graças ao apóstolo Paulo), presidido pelo primeiro Papa: Pedro.

Concílios ecuménicos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Um concílio (também conhecido como sínodo) é uma assembléia de uma Igreja, geralmente uma Igreja cristã, convocada para decidir um ponto de doutrina ou administração. Um concílio ecumênico (ou ecuménico) é assim chamado porque é um concílio de toda a Igreja (ou, mais exatamente, do que aqueles que o convocam consideram ser toda a Igreja).

A Igreja Ortodoxa apenas reconhece como ecuménicos os oito primeiros concílios, todos eles realizados no Oriente; os concílios subsequentes a Latrão I são apenas considerados ecuménicos pela Igreja Católica.

[editar] Cronologia dos concílios ecuménicos

Faltam os Concílios de Cartago e Concílio de Jâmnia

Numeração Local e Designação Duração do
Concílio
Temas Principais
Niceia I 20 de Maio a 25 de Julho de 325 A heresia de Ário. Redação do símbolo ou credo que se recita na missa.
Constantinopla I Maio a Julho de 381 A divindade do Espírito Santo.
Éfeso 22 de Junho a 17 de Julho de 431 A heresia de Nestório. A maternidade divina de Maria.
Calcedónia 8 de Outubro a 1 de Novembro de 451 Condenação do monofisismo. A existência em Jesus Cristo de duas naturezas completas e perfeitas na unidade da pessoa, que é divina.
Constantinopla II 5 de Maio a 2 de Junho de 533 Condenação de documentos nestorianos designados Os Três Capítulos.
Constantinopla III 7 de Novembro de 680 a 16 de Setembro de 681 Condenação do monotelismo.
Niceia II 24 de Setembro a 23 de Outubro de 787 Legitimidade da veneração de imagens.
Constantinopla IV 5 de Outubro de 869 a 28 de Fevereiro de 870 Condenação e deposição de Fócio, patriarca de Constantinopla
Latrão I 18 de Março a 6 de Abril de 1123 A Questão das Investiduras. Independência da Igreja perante o poder temporal.
10º Latrão II Abril de 1139 Fim do cisma do Antipapa Anacleto II
11º Latrão III Março de 1179 Normas para a eleição do Papa.
12º Verona 1183 Criação da Inquisição.
13º Latrão IV 11 de Novembro a 30 de Novembro de 1215 Condenação do catarismo. Definição de transubstanciação. Preceito pascal.
14º Lyon I 28 de Junho a 17 de Julho de 1245 Deposição do Frederico II.
15º Lyon II 7 de Maio a 17 de Julho de 1274 União com a Igreja Grega. Regulamentação do conclave para a eleição papal. Cruzada para libertar Jerusalém.
16º Vienne 16 de Outubro de 1311 a 6 de Maio de 1312 Supressão dos Templários.
17º Constança 5 de Outubro de 1414 a 22 de Abril de 1418 Fim do Grande Cisma do Ocidente. Condenação de Wyclif e de Hus.
18º Concílio de Basileia-Ferrara-Florença 1431-1432 União com as Igrejas orientais. Reconhecimento no romano pontífice de poderes sobre a Igreja Universal.
19º Latrão V 10 de Maio de 1512 a 16 de Março de 1517 Condenação do concílio cismático de Pisa (1511-1512). Reforma da Igreja.
20º Trento 13 de Dezembro de 1545 a 4 de Dezembro de 1563 Reforma geral da Igreja.
21º Vaticano I 8 de Dezembro de 1869 a 18 de Julho de 1870 Primado do papa e infalibilidade pontifícia.
22º Vaticano II 11 de Outubro de 1962 a 8 de Dezembro de 1965 Correção de problemas disciplinares e de índole pastoral. Chamada à renovação dos ritos litúrgicos. Promoção dos estudos bíblicos, decretos pastorais e progresso ecuménico para o diálogo e reconciliação com outras Igrejas Cristãs.