JURA EM PROSA E VERSO

 

MORAL E CIVISMO - TEXTOS

 

Vire à Direita – Pela liberdade de expressão, pela educação e pela lógica

Autoria desconhecida

 

 

 De vez em quando gosto de dar aqui os meus pitacos sobre política.

De modo geral eu vinha achando a política brasileira bastante equilibrada e democrática.

Mas umas últimas ações do governo tem me deixado de orelha em pé. Segundo se diz, dois jornalistas do SBT foram afastados de suas funções de comentaristas, devido à ameaças do governo de retirar da emissora o patrocínio governamental. E uma terceira jornalista, Rachel Sheherazade corre o mesmo risco. Simplesmente por falarem o que o governo – o qual está à Esquerda do espectro político – não quer que o povo escute.

Outra vilania Esquerdista tem sido a invasão e derrubada de páginas de Direitistas no Facebook. O ódio que motiva essas ações vis e baixas é completamente anti-democrático, típico de gente doente e obsessiva. E gente obcecada e doentia assim no poder, me dá medo o.

O O PT chegou ao poder, e não vai largar dele facilmente, nem que para isso tenha que se utilizar de expedientes escusos. Excesso de poder Tá na hora de corrigir a rota Como eu já comentei aqui diversas vezes, eu concordo com vários ideais de Esquerda, como a descriminalização da maconha, os direitos civis plenos para homossexuais, o direito da mulher por total autonomia, o amparo governamental aos negros através de cotas, a redistribuição de renda através do bolsa-família etc.

Mas quando o assunto é dinheiro, sou de extrema-direita 🙂 porque entendo que o que sustenta a coisa toda é o dinheiro, e não há nenhum sistema melhor para se gerar valor, riqueza e dinheiro do que o bom e velho capitalismo. Quando a Esquerda entrou para o poder com o ex-presidente Lula, em 2002, ela de fato revolucionou a situação social no país.

Foi necessário e bem-vindo, este ar renovado na política brasileira. Mas depois de 12 anos no poder, começamos a ver onde a Esquerda tem exagerado e se perdido, por excesso de poder. Um lado em que ela tem se perdido, é este projeto de censura comentado acima.

Que é algo terrível, perigoso e doentio. E outro segmento que a Esquerda no poder tem colocado por água abaixo é a Educação.

O aluno está na sala de aula, mas não aprende. Maria Rebeca Otero O projeto de educação no Brasil simplesmente não deu certo.

Algumas constatações aqui: 1 – 2 – 3 – 4 – 5 – 6. E está na hora de mudar. No vídeo abaixo, a professora catarinense Ana Campagnolo denuncia o modo como a educação catarinense (e de modo geral, a brasileira) está enviesada, e entorpecida, porque está completamente fundamentada no pensamento esquerdista. O vídeo dela chegou ao plenário da Assembléia Legislativa catarinense, e despertou a ira dos deputados petistas, em especial, da deputada Luciane Carminatti. (Links para os videos originais: 1 – 2) E abaixo, a professora Ana responde à altura a deputada, citando diversos recortes de jornais que demonstram claramente o fracasso da educação brasileira, cujo fundamento é veementemente defendido pela deputada de Esquerda, que parece ser incapaz de associar causa e efeito.

Parece algo lógico, e é, mas lógica não é e nunca foi o forte das pessoas. Como exemplo, dentro do contexto político, vou citar um caso típico: o sujeito que se diz comunista, que é funcionário público, em especial professores, cuja maioria é marxista, que têm, expressam e doutrinam ÓDIO ao capitalismo, aos ricos e aos empresários, os quais, em última instância, são quem pagam o salário deles, através dos impostos que sustentam a máquina pública.

Sei lá, vai ver, pensem que o governo mantém uma plantação de árvores que deem dinheiro, ou que o governo gere por si mesmo o dinheiro que gasta. Dizer-se comunista, hoje em dia, soa bem ridículo, uma vez que todos dependem de dinheiro e da produção industrial de bens, o que faz o estilo de vida do sujeito incorrer em total incoerência.

E o que dizer de professores marxistas que lecionam em escolas PRIVADAS? o que é um belíssimo exemplo de contrassenso, dado que o que paga seus salários é justamente uma empresa que se organiza de modo capitalista.

Ou como um último exemplo da dificuldade das pessoas de associar causa e efeito, temos uma deputada que DEFENDE um sistema de educação cujos resultados são avaliados como os piores do mundo.

A crença política A política é estranha. Algo que deveria ter um viés mais científico é profundamente impulsionado por um viés filosófico-religioso. Partidarismo e inteligência são propriedades excludentes.

Não se apóia idéias de modo aberto e dialético, e sim, defende-se pontos de vistas como torcedores de futebol. Numa empresa, família, grupo de amigos, se 90% das pessoas cometem crimes, você se afasta com raiva/nojo e monta algo melhor. Na política, se 90% do seu partido faz cagada, não importa, você defende até morrer.

Em uma empresa, por exemplo, se o quadro inteiro da diretoria é corrupto, todo mundo que trabalha pra empresa fica com ódio e desaprova. Se a diretoria de um partido político é corrupto, a galera embaixo fica cega e defende os caras com unhas e dentes. Ninguém quer o bem coletivo, apenas olham pro próprio umbigo e querem “vencer”.

É o caso da deputada citada acima: Não importa que os indicadores internacionais apontem a educação brasileira como vergonhosamente péssima. A ideologia de seu partido continua válida.

Essa negação da realidade como argumento ultrapassa a fronteira da infantilidade e se assemelha completamente ao fervor religioso.