JURA EM PROSA E VERSO

CORPO E SAÚDE

A PREVENÇÃO DA AIDS

Está cada vez mais claro que a juventude tem que ser o foco das estratégias de prevenção da AIDS, sobretudo nos países mais afetados. Nos países onde a epidemia não é tão grave, a atenção aos jovens ajuda a garantir que permaneçam imunes ao HIV. A experiência sugere que, para enfrentar o HIV/AIDS de forma eficaz, é preciso forjar uma grande aliança de organizações das áreas de saúde, educação, desenvolvimento e política pública, trabalhando junto com o setor privado e as ONG’s. Uma estrutura estratégica focalizada na juventude reconhece que a epidemia de AIDS tem muitos componentes e que nenhuma abordagem única tem chance de sucesso.

A ênfase a ser dada a uns ao invés de outros elementos da estratégia depende do padrão da epidemia de HIV/AIDS que prevalece em cada país específico. Por exemplo, os países onde a epidemia ainda está no início devem focalizar mais a educação dos jovens sobre a AIDS, enquanto que os países onde o HIV/AIDS já está disseminado devem enfatizar o bloqueio à sua disseminação posterior e a mitigação de seus efeitos.

Para ter uma estratégia bem sucedida de HIV/AIDS, as respostas dos programas devem basear-se na pesquisa formativa e em avaliações das necessidades. Na medida em que a estratégia vá sendo implementada, o acompanhamento e a avaliação do impacto ajudam os planejadores a determinar o que está ou não está dando resultados e se os recursos estão sendo bem utilizados. É essencial ter elementos para confirmar o impacto do programa sobre o comportamento dos jovens, já que a mudança de comportamento é a meta dos programas de prevenção da AIDS (50).

A JUVENTUDE NO CENTRO DAS ATENÇÕES

Componentes principais de uma abordagem estratégica

Mudança do comportamento por meio da educação e comunicação

• Promover várias opções de comportamentos protetores, inclusive o adiamento da iniciação sexual, a abstinência e o uso constante do preservativo

• Os jovens participam de todos os aspectos do programa, desde a avaliação das necessidades até a veiculação da mensagem

• Aproveitar todas as oportunidades, seja a sala de aula, a comunidade ou a televisão • Usar o entretenimento para educar

• Adotar técnicas para evitar riscos, tais como recusar avanços sexuais e negociar o uso de preservativos

• Estimular a auto-eficácia: sentir-se confiante e capaz de evitar o HIV

Criação de programas para jovens que têm necessidades especiais

• Jovens de rua, órfãos, trabalhadores do sexo, refugiados, militares

• Chegar a todos os lugares onde estão os jovens

• Satisfazer primeiro suas necessidades imediatas

Mitigação da privação econômica e social

• Educação dentro e fora da escola

• Capacitação profissional e preparação para realizar negócios

• Micro-finanças e atividades de geração de renda

• Alimentação, habitação e atendimento às crianças

Tornar os serviços mais simpáticos aos jovens

• Serviços de saúde mais acolhedores, solidários e discretos

• Inclusão de uma gama maior de serviços e encaminhamento das pessoas, inclusive aconselhamento e exames voluntários de HIV, saúde emocional, necessidades sociais, orientação sobre o uso abusivo de substâncias

• Respeito constante à confidencialidade

• Horários convenientes para as pessoas que não têm consulta marcada, mínimo de burocracia

• Baixo ou nenhum custo

Acompanhamento da epidemia

• Prevalência por idade e incidência do HIV e de outras IST’s

• Monitoração do conhecimento, atitudes e comportamento relacionados à saúde

• Avaliação do impacto do programa

Criação de um ambiente favorável

• Os líderes nacionais dão publicamente uma alta prioridade à questão e solicitam a cooperação de todos

• As diretrizes nacionais e as leis permitem o oferecimento de recursos aos programas, defendem os direitos dos jovens ao atendimento e à informação de saúde, e protegem os jovens contra a discriminação

• Ligação e coordenação das organizações em todos os setores

Fortalecimento do compromisso financeiro

• Mais fundos para a prevenção geral do HIV/AIDS

• Maior parcela dedicada à juventude

• Compromissos assumidos pelo setor privado e pelo governo e entidades doadoras internacionais

Maior disponibilização de preservativos

• Acesso fácil, múltiplos centros de distribuição

• Sem custo nenhum ou a custo muito baixo

• Sem fazer perguntas

• Enfatizar o uso constante nas relações sexuais vaginais, anais e orais

Mobilização das comunidades

• Buscar a participação dos pais, professores e outros adultos

• Demonstrar interesse e dar atenção

• Defesa da causa da juventude

• Estabelecer bons exemplos

• Desafiar as práticas tradicionais