JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

SEIOS NUS  (ARMANDO FIGUEIREDO)

Ostentas teu seio nu, por mim despido,
e bebes vinho fino oferecido
pelos meus dedos... bebido e sorvido
num pólen de suco bem batido!

Em transe ficas, quando te beijo
a boca fúcsia, teu corpo freme
de volúpia! O falo é um eixo
penetrando tuas fendas... a alma geme!

Sentimos só o calor desta paixão
enlouquecendo sem fim a emoção!
E assim vou e venho na ilusão!

Não sentimos o lodo desta terra
mas sim a embriaguez que nos enterra
no deus do puro fogo, e nos encerra!