JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

O DEFLORAMENTO DA VIRGEM

Intocada feito uma desconhecida ilha,

Aquela ninfa da mais rara beleza

Foi arrebata do seio de sua família

Por um homem coberto de impureza.

 

Como num ritual ao deus Serpente

Ele a arrastou para o leito de sacrifício

E depois a preparou pacientemente

Para romper-lhe o pequeno orifício.

 

Num ritual longo e coordenado

Aquele carrasco a despiu por inteiro

E como o grande punhal empunhado

A sacrificou no momento certeiro.

 

Do interior da cavidade entreaberta

O vermelho sangue pouco se viu;

Mas do grosso liquido de cor incerta

Em abundância foi o que saiu.