JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

NA CARTILHA DO POETA

Autora: Pequenina
em/23/04/2010 – 12:40

 

Poeta nasce Poeta
ama, devaneia em sua lira
diga-me qual o Poeta…
que não coloca e nem tira
nas palavras dos seus poemas
há verdade, e há mentira.


Se o Poeta habilidoso…
escrever só com a verdade
será uma “porca miséria”
não deixará nem saudade…
se nas rimas dos seus versos
não tiver tal liberdade…


Poeta que é Poeta
tem que rezar sem saber...
quantas contas tem um rosário
e aos “arcanjos” oferecer
conjugar o verbo amar
á quem pouco merecer.


O Poeta não é santo
mas se cobre com o seu manto
se santo fosse estaria…
mil vezes esconjurado
ao descrever o seu dia a dia
o seu fado, o seu passado.


Portanto deixe-o á vontade
que escreva o que bem quiser
que pranteie os seus desamores
que exalte, ou desaprove a mulher
que discorra em sua cartilha
o que bem lhes aprouver.