JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

MEL E FEL (Antonio Manoel Abreu Sardenberg )

Dou minha vida pelo amor que sonho

E agradeço a DEUS tudo que tenho.

Por mais que seja forte o meu empenho,

Trago no peito um coração cansado

E o corpo preso num pesado lenho.

 

E todos nós devemos entender

Que nessa vida tudo é mesmo assim:

Não adianta a gente não querer,

O que será irá acontecer,

Todo princípio tem também um fim.

 

Que a vida é bela não se questiona.

É linda, terna, tem sabor de mel

E uma dinâmica que impressiona!

E se por ela a gente se apaixona,

Às vezes sente o amargor do fel.

 

É nessa mescla de prazer e dor

Que a gente vê de forma comovida

Que quando o fel nos traz o amargor

É que aprendemos a dar mais valor

Ao doce mel que nos adoça a vida.