JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

*DOIS SONETOS... SENDO UM O AVESSO DO OUTRO.*

O DIREITO

A VIDA ao tempo rende o fraco e forte,

Do fado universal a prende o lanço;

Que estado achará triste? qual remanso?

Subida mais, a glória abate a morte.

 

DEVIDA e justa lei de humana sorte;

Cansado busca em vão o homem descanso.

Irado o Céu o oprime manso;

Erguida a espada vai azando o corte.

 

EM PENA muda a morte o gosto à vida;

A morte tudo abala e desordena.

Ao gosto a morte pois enfreia o passo.

 

PENA mortal à culpa foi devida;

Sorte alegre porém, alegre pena.

Posto na morte está a vida o passo!

 

O AVESSO

 

O FORTE e o fraco rende ao tempo a vida;

O lanço a prende universal do fado.

Remanso qual (triste) achará? que estado?

A morte abate a glória mais subida.

 

SORTE de humana lei justa e devida,

Descanso o homem, em vão busca cansado.

Manso e manso o oprime o Céu irado;

O corte azando vai a espada erguida.

 

A VIDA o gosto a morte muda em pena;

Desordena e abala tudo a morte.

O passo pois enfreia a morte ao gosto.

 

DEVIDA à culpa mortal pena;

Pena alegre porém, alegre sorte;

O passo à vida está na morte posto!