JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

DESEJO DE LIBERDADE

(João Vila Lobos)

Ainda a vida não retoma o seu negligente passo.

 Hoje, como ontem, o sono não vem.

Ainda te sinto, cingido neste abraço

e não sei retirar-te, não sei, meu bem.

 

Ainda por dentro palavras em excesso

e beijos por mostrar em fotografias.

Ainda o teu nome mas agora em retrocesso,

um filme que se apaga ou chávenas vazias.

 

Ainda estás aqui e quem dera que partisses

 ou então permanente, para sempre e afinal.

Ainda esta vontade que tu nunca existisses,

não sentir, como prazer, este meu mal.

 

(OBSERVAÇÃO: O Jura em Prosa e Verso criou o título deste texto poético, vez que, no site de onde foi copiado, não havia título algum)