JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

COLEÇÃO DE TROVAS POPULARES   -  I
Amar-te-ei, nunca ou sempre

Sempre ou nunca te hei de amar

Mas não me peças medidas

Que o crer não sabe contar

 

Escondi-me e de mansinho

Fiquei a ouvir-te falar

Aprendi num bocadinho

Mais do que estavas a contar

 

Desfiz as tranças, cortei-as

Já não sou rapariguinha

Tu preferias-me como eu era

Co'as tranças como eu as tinha

 

Agora vou-te amar sempre

Ou nunca te vou amar

Traiçoeira me tornaste

Farei como me agradar

 

Coração louco a sofrer

Mãos sensatas a fiar

Fios alvos de algodão

Que acolhem o meu penar

 

Oh! Solidão, solidão...

Que enches o meu peito a arder

Espetei o fuso num dedo

E nem o sinto a doer

 

Coração louco a sofrer

Num quieto e mudo pranto

E as mãos calmas a tecer

Lençóis de linho tão branco

 

Adeus, minha sempre-viva

Até quando nos veremos

As pedras do mar se encontram

Assim nós também seremos

 

Me dizei de que estás triste

Quero entristecer também

Que eu não gosto de ver triste

Coisinha que eu quero bem

 

Zelai-me, amor, zelai-me

Zelai-me como eu te zelo

Zelai-me dentro do peito

Vereis o bem que te quero

 

Minha arupembinha d'ouro

Meu alecrim peneirado

Se vós tendes outro amor

Não me tragais enganado

 

Eu perguntei à Fortuna

De que é que eu viveria

Ela aí me respondeu

Que o tempo me ensinaria

 

De que me serve  ter glória

Se tenho a vida emprestada

E no fim da minha vida

Ficar sem glória e sem nada?

 

De correr venho cansada

De cansada me assentei

Achei o que procurava

Agora descansarei

 

O Zé Prequeté,

Tira bicho do pé,

Pra comê com café,

Na porta da Sé!

 

Açucena quando nasce

Longe do pé bota flor

Na ausência se conhece

Quem é firme no seu amor

 
Fui à praia comprar peixe

Comprei um pampo dourado

Dentro do pampo encontrei

O teu coração retratado

 
Bananeira, chora, chora

Pelos filhos que tem

Cortam o cacho, chora a mãe

Ficam os filhos sem ninguém

 
O meu amor foi embora

Pra banda que o sol entrou

O sol já foi, já veio

Meu amor foi e ficou

 
Perguntei ao sol se viu

À lua se conheceu

Às estrelas se encontraram

Amor firme como o meu

 
Tu andas te gabando

Que tens muito "aonde" escolhas

Toma cuidado, não fiques

Como a figueira sem folhas

 
Vou escrever uma carta

Com a pena do quero-quero

Pra te mandar dizer

Que não te ligo nem te quero

 
Quem zombou do meu amor

Foi a minha namorada

Pensa que eu tenho paixão

Paixão, não tenho nada

 
Num copo de salsa verde

Num copo de verde salsa

Mais vale uma feia firme

Que uma bonita falsa

 
Da minha casa pra lá

Todo mundo me quer bem

Só a mãe do meu amor

Não sei que raiva me tem

 
Atirei um cravo n'água

De teimoso foi ao fundo

Os peixinhos responderam

Vida dom Pedro II

 
Eu plantei a cana verde

Lá em baixo, na baixada

Me chuparam a cana toda

Só deixaram a bagaçada

 
Quem é amarelo não dança

Só dança quem é vermelho

O melhor dos dançadores

Dança dobrando o joelho

 
Quem quiser cantar comigo

Lave a boca com sabão

Olha que eu tiro cantigas

Da palma da minha mão

 
Não tenho medo de homem

Nem do ronco que ele tem

O besouro também ronca

Vai-se ver não é ninguém

 
Eu sou cabra cantador

Canto uma semana inteira

Canto como gaturamo

Na ponta da laranjeira

 
Sou cantador de fama

E canto como um tié

Desafio cantador

Venha de onde vier

 
Nesta casa tão singela

Onde mora um Trovador

É a mulher que manda nela

Porém nos dois manda o amor.

 
Ficou pronta a criação

Sem um defeito sequer,

E atingiu a perfeição

Quando Deus fez a mulher.

Não sei se vá ou se fique,

Não sei se fique ou se vá.

Indo lá não fico aqui,

Ficando aqui não vou lá.

 

 
Não sei se vá ou se fique,

Não sei se fique ou se vá.

Indo lá não fico aqui,

Ficando aqui não vou lá.

 

 
Essa noite tive um sonho

Que não me sai da lembrança

Sonhei que vi a saudade

Abraçada com a esperança.

NAS PERNAS A "COLA" É ESCRITA!

E O PROFESSOR, ESTREITANDO,

FICA FELIZ QUANDO A RITA

ERGUE A SAIA E VAI "COLANDO".

 
Mostra não ter sentimento,

menospreza a poesia,

mas costuma ler, atento,

livros de pornografia.

 
PARTI DO NORTE CHORANDO,

QUE COISA TRISTE, MEU DEUS,

EU VI O MAR SOLUÇANDO

E O COQUEIRAL DANDO ADEUS!

 
MORRERAM MUITAS PIRANHAS.

QUER MOTIVO COMPROVADO?

- AS POBREZINHAS COMERAM,

UM POLÍTICO AFOGADO...

 
UMA VIAGRA NO CHÃO.

ALGUÉM PISA... Ó COISA FEIA!

SAPATO FICA DOIDÃO...

TÃO DOIDÃO...QUE COME A MEIA...

 
NÃO FUME, CARO POETA.

NEM VOCÊ, GENTIL IRMÃO.

O TABACO SÓ ACARRETA,

GRANDE MAL EM SEU PULMÃO.

 
QUEM COM PROMESSA ENGANOU,

QUEM OS VOTOS QUER COMPRAR,

SE ELE AINDA NÃO ROUBOU,

VAI, COM CERTEZA ROUBAR!

 
O TEU BEIJO É CHAMA ARDENTE

QUE PRODUZ FORTE CALOR;

É COMO FOGO CRESCENTE

NA PALHA DO NOSSO AMOR!

 
NÃO DESEJO SER GROSSEIRO,

MAS O ROSTO DA VIZINHA

MAIS PARECE GALINHEIRO:

- COMO TENS PÉS DE GALINHA!

 
NO VELÓRIO ALGUÉM PERGUNTA:

- TODO MUNDO JÁ BEBEU?

É QUANDO UMA VOZ DEFUNTA

DIZ DO CAIXÃO: - FALTA EU!

 
NO MEIO DA ESCURIDÃO,

UM FACHO DE LUZ ME INVADE,

QUANDO UM VELHO LAMPIÃO

ACENDE MINHA SAUDADE...

 
NÃO FUMAVA NEM BEBIA,

TINHA FORÇA E JUVENTUDE:

VIVEU SEM TER ALEGRIA,

MORRENDO VENDENDO SAÚDE!

 
HÁ UMA REVOLTA CONTIDA

NA MÁGOA QUE ME CONSOME.

PARA ALGUNS MUITA COMIDA,

QUANDO TANTOS PASSAM FOME!

 
SONHEI COM A VIRGEM MARIA

- NO CÉU, NUM TRONO DE FLORES,

- NOSSA SENHORA APLAUDIA

- O CANTO DOS TROVADORES.

 
QUANDO O SOL, EM TONS VERMELHOS,

SE PÕE EM LENTA AGONIA,

PÕE-SE A TARDE DE JOELHOS

CHORANDO A MORTE DO DIA.

 
JUDAS NÃO TINHA PREVISTO

QUE O BEIJO DA FALSIDADE,

AO CONDENAR JESUS CRISTO,

SALVARIA A HUMANIDADE.

 
DIÓGENES, EM PLENO DIA,

COM SEU LAMPIÃO PROCURA,

SEM ENCONTRAR, TODAVIA,

UM SÓ HOMEM DE ALMA PURA...

 
ANDO TÃO RUIM DE MEMÓRIA

QUE NEM CALCULA O SENHOR...

- E DESDE QUANDO, SENHORA?

- DESDE QUANDO O QUÊ, DOUTOR?

 
QUAL SERIA O ANEL DO POETA,

SE O POETA FOSSE DOUTOR?

- UMA SAUDADE BRILHANDO

NA CRAVAÇÃO DE UMA DOR...

 
DUAS VIDAS TODOS TEMOS...

MUITAS VEZES SEM SABER...

- A VIDA QUE NOS VIVEMOS

E A QUE SONHAMOS VIVER...

 
PESCADOR, PENSA UM INSTANTE.

RESPONDA, SE AINDA CRÊ

NA GRAÇA DA PESCARIA,

SE O PEIXE FOSSE VOCÊ...

 
INEFÁVEL LABAREDA

A BORBOLETA A VOAR

PARECE UM LENÇO DE SEDA

QUE UM ANJO ESQUECEU NO AR.

 
NO ACONCHEGO DOS TEUS BRAÇOS,

QUANDO TUDO ME FAZ BEM,

ARRANCO DOS TEUS BRAÇOS

O NADA QUE A VIDA TEM...

 
SONHADOR... - VOCÊ ME DIZ,

E EU SONHO, SEM ME IMPORTAR,

POIS CONSIDERO INFELIZ

QUEM NÃO CONSEGUE SONHAR.

 

NO FUTEBOL DESTA VIDA

NÃO É FÁCIL SER PELÉ:

HÁ SEMPRE BALA PERDIDA,

EM QUE NINGUÉM PÕE O PÉ.

 

QUANTA BELEZA IRRADIA

UM SORRISO VERDADEIRO,

ONDE, COM LUZ E MAGIA,

OS OLHOS RIEM PRIMEIRO!

 

A TROVA, NUNCA SE ESQUEÇA,

É GRANDE COMPOSIÇÃO!

A GENTE A FAZ DE CABEÇA,

MAS QUEM DITA É O CORAÇÃO.

 

EU BENDIGO ESTA VERDADE

QUE ME FAZ SOFRER ASSIM:

SÓ O MILAGRE DA SAUDADE

PÕE VOCÊ PERTO DE MIM.

ALBERTO ISAÍAS RAMIRES

 

EU QUERIA QUE O DESTINO

VIESSE DE MADRUGADA...

E, ME ENCONTRASSE DORMINDO

NOS BRAÇOS DE MINHA AMADA.