JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

ALFORRIA (Antonio Manoel Abreu Sardenberg)

 

Rompi o elo que me atava a vida,

Dei alforria à falsa liberdade,

Curei a chaga cruel e dolorida,

Joguei no lixo o resto da saudade.

 

Deixei meus sonhos ao sabor do vento

Vagando solto pelo mundo afora,

Livrei do peito todos os momentos

Que eu guardava comigo até agora.

 

Livre do laço, então, lanço-me ao léu,

Busco o abrigo que queria tanto,

Não quero mais provar do amargo fel!

 

Liberto, assim, de todas as correntes,

E já despido do pesado manto,

Busco outro amor sempre seguindo em frente...