JURA EM PROSA E VERSO

POESIAS E TROVAS POPULARES

A FORÇA OU A JUSTIÇA?

FORÇA- A JUSTICA – A PAZ ®
(revoltas inúteis)
FAHED DAHER

Quem tem razão? A força ou a justiça?
Se a força da justiça imperasse
então a força seria a razão.
Mas a força sem ética se eriça
e o poder e o domínio se envaidecem
impondo seu direito em dura liça,
corrompendo sem fé, sem dimensão.

Já não é mais a força do guerreiro
enfrentando combates ardorosos.
Já não é mais o gladiador audaz
desbaratando males enganosos;
mas a força solerte do dinheiro
que nas mão sediciosas é capaz
de transformar a paz do mundo inteiro
na escravidão mordaz.

Da justiça a nobreza e a santidade
se corrompem nas barras tribunais
em decisões anômalas, tribais,
que favorecem sempre os poderosos
e que aos desamparados cabem mais
tantos castigos, tantas punições,
sob a pena de tanto anonimato,
padecendo no puro desacato
da soberba do malho e sem guarida.

A força do direito ou direito da maldade...
Que dilema cruel enfrenta a humanidade.
entre os recursos de hábeas corpus, liminares,
que aos pobres só lhes cabem os azares.
“fernandos, zés dirceus,” que permanecem livres
em condições de juízos mais privilegiados,
e juntos com “Barbalhos” não serão julgados
no mesmo plano malogrado de mendigo,
desesperado, que de um furto foi viver.


Quem tem razão? A força ou a justiça?
Se a força da justiça imperasse
nossos políticos seriam castos
no repúdio de tantas, tantos gastos
sem mérito em prejuízo da nação.
Os partidos seriam bem mais puros
e honestos criariam, com apuros,
seus planos e projetos exemplares
para honrar o equilíbrio da Nacional.

Se a força da justiça, pelo mundo,
fosse mais forte que o poder bancário,
a paz seria um poder fecundo
e sem poluição, a nossa terra
não sofreria mais nenhuma guerra,
já sem colonialismo e sem Iraque,
sem terrorismo e orgulho americano,
sujeito a promover qualquer ataque
onde interesse o seu poder insano

Mas um dia, eu bem sei, um certo dia,
eu já não sei ao certo onde nem quando,
entre os castigos que estão nos rondando
a humanidade acordará tão aterrada,
sabendo o quanto tem vivido errada
fugindo do humanismo e da justiça,
vivendo só de posses e cobiça,
sem procurar achar a luz Divina
de agir sob o calor da integridade,
servindo humildemente na verdade
e com justiça encontrando a paz

Médico - Academia de Letras Centro Norte do Paraná
Academia de Letras de Londrina –Academia de Letras José de Alencar(Curitiba) Governador de Rotary -1995/1996=Dist:4710
Centro de Letras do Paraná (Curitiba) Soc. Brás. De Médicos Escritores.
Ano de 2004 ddaher@sercomtel.com.br