JURA EM PROSA E VERSO

MINHAS REFLEXÕES

FRATERNIDADE

(O que é, conforme o entendimento do autor)

José Jurandi Brito dos Santos

Tenho o costume de, às vezes, debruçar-me sobre uma determinada palavra, ou uma  frase, ou provérbio, ou dito popular e estudá-lo. Tentar decifrar o seu significado, não só o significado ostensivo e visível, mas também o ensinamento oculto que só uma minuciosa análise pode desvendar. E é surpreendente o que se pode descobrir. Por trás de uma simples palavra quanto de ensinamento pode advir.

Neste momento escolhi a palavra FRATERNIDADE, decidi meditar sobre ela, e colocar no papel o resultado deste estudo introspectivo.

Aí vai, para quem tiver a paciência de ler.

 

FRATERNIDADE

Inicialmente, consultei dois dicionários , e achei, no verbete Fraternidade , as seguintes definições:

                           Parentesco de Irmãos

                           Irmandade

                           União, amizade, afeto

                           Amor Universal, boa harmonia

Como sou Maçom, procurei o DICIONARIO DE MAÇONARIA. Lá, o Irmão autor da obra prefere não definir a palavra Fraternidade isoladamente e remete o pesquisador a estudar a trilogia lema da Maçonaria que é LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE. Aí nessa trilogia, o autor define Fraternidade como sendo : HOMENS E MULHERES LIVRES E DE BONS COSTUMES QUE CONVIVEM FRATERNALMENTE NUMA SOCIEDADE.

 

Esta última definição, para mim é a mais perfeita: “Homens e mulheres livres e de bons costumes que convivem fraternalmente numa sociedade”.

 

Mas, permanece uma indagação:  O QUE É VIVER FRATERNALMENTE NUMA SOCIEDADE ?

É AÍ QUE COMEÇO A TECER MINHAS OPINIÕES PESSOAIS SOBRE O TEMA, RESULTADO DE PROFUNDA MEDITAÇÃO.

 

Cada religião, por exemplo, é uma FRATERNIDADE. Na busca de contato com o divino, com o Deus Todo-Poderoso, conforme a crença de cada grupo religioso em particular, os fiéis se reúnem para repetirem orações, relembrarem fatos históricos da sua fé, cultuarem os seus dogmas criados no passado para justificar seus argumentos.  Só para me posicionar sobre o assunto, eu adoto a seguinte definição para a palavra dogma: DOGMA É UM PRINCÍPIO QUE SÓ É EXPLICADO PELA FÉ, NUNCA PELA RAZÃO e é justamente esta fé que desafia a razão, que une os homens em grupos e comunidades  que praticam a FRATERNIDADE.As religiões, portanto, são Fraternidades, e em alguns casos até se tratam por IRMÃOS.

 

Até algumas entidades de cunho político-partidário podem ser consideradas como FRATERNIDADES, desde que exijam dos seus membros compromissos de fidelidade, e todos os seus membros  se dediquem a uma causa comum.

 

Temos conhecimento de sociedades secretas de apoio mútuo, como as denominadas MÁFIAS, onde através de juramentos, os que entram comprometem-se a dar até a própria vida na defesa dos interesses, quase sempre meramente econômicos, dos seus membros. São, é claro, entidades espúrias, mas são, também, FRATERNIDADES.

 

Porém acredito que o principal exemplo na sociedade organizada, de FRATERNIDADE, é a FAMÍLIA TRADICIONAL bem constituída.

 

Na FAMÍLIA bem constituída, aquela família onde os valores morais são cultuados, observamos o seguinte:

-         os mais velhos transmitem aos mais novos, principalmente através do seu exemplo de vida, o amor fraternal representado pelos ensinamentos de comportamentos compatíveis com a vida na sociedade: a honestidade acima de tudo, o respeito aos mais velhos, a tolerância e a compreensão, o sacrifício quando necessário, o amor ao próximo como a si mesmo,a correção do caráter;

-         os mais jovens, vivendo num clima de amor fraternal, se fortalecem, absorvem o verdadeiro sentido dos ensinamentos, aprendem a se proteger contra os vícios, contra os maus costumes e retribuem o amor que recebem crescendo, tornando-se mais maduros a cada dia, homens e mulheres fortes que serão responsáveis pela condução de outros mais jovens e assim o ciclo recomeça.

 -    valores como cidadania e patriotismo,  solidariedade, perseverança, amor de dedicação ao trabalho como           único caminho em busca da prosperidade material, o auxílio mútuo dado apenas pelo desejo de participação, ao invés de serem atitudes dignas de elogios passam a ser, apenas , o simples cumprimento do dever fraternal.

 

No meu entendimento, é a família acima definida a verdadeira e viva definição de FRATERNIDADE.

 

Numa Fraternidade a palavra “eu” tem seu valor diminuído diante da importância da palavra “nós”. Numa Fraternidade todos se ajudam mutua e desinteressadamente.  Numa Fraternidade igual à da família bem constituída. O “coletivo” sempre prevalecerá sobre o “individual”, pois cada um só será feliz se todos forem felizes, só será próspero se a prosperidade atingir a todos. Em prol dos interesses da Fraternidade todos sacrificam alegremente seus próprios interesses pessoais. Numa Fraternidade os momentos de alegria contagiam a todos, assim como os eventuais momentos de dificuldades, tristeza ou dor.

 

A FRATERNIDADE  evolui e se aperfeiçoa em conjunto. Junto com esse aperfeiçoamento vem o prêmio que é o progresso, a realização dos sonhos individuais e coletivos, a melhoria das condições de vida do grupo e com isto, também de cada um dos seus membros, enfim, o progresso espiritual, material e físico.

 

No caso da instituição a que, com muito orgulho, faço parte, a Ordem Maçônica se define assim:

                        “ A ORDEM MAÇÕNICA É UMA ASSOCIAÇÃO DE HOMENS SÁBIOS E VIRTUOSOS QUE SE CONSIDERAM IRMÃOS ENTRE SI E CUJO FIM É VIVER EM PERFEITA IGUALDADE, INTIMAMENTE UNIDOS POR LAÇOS DE RECÍPROCA ESTIMA, CONFIANÇA E AMIZADE, ESTIMULANDO-SE UNS AOS OUTROS NA PRÁTICA DAS VIRTUDES “.

 

Pois bem, se eu fosse definir uma família perfeita, aquela família que acima foi qualificada, eu diria:

                         “A FAMÍLIA PERFEITA, bem constituída, é uma associação de pessoas sábias e virtuosas, irmãs entre si por laços de sangue, e cujo fim é viver em perfeita igualdade, intimamente unidas por laços de recíproca estima, confiança e amizade, estimulando-se uns aos outros na prática das virtudes”.

                       

A família pode ser perfeita, independentemente   do credo e convicções religiosas ou políticas de cada um dos seus membros, da cor da pele, da posse de bens materiais ou da falta desses bens.

 

Temos todos a obrigação e o dever de levar até o nosso lar energização positiva, fluídos benéficos, carregados de amor fraternal.

Sejamos alegres, pessoas de bom humor, homens e mulheres fortes e equilibrados, justos e perfeitos, para que as pessoas à nossa volta se contagiem com a nossa ação e possamos assim, contribuir com a nossa gota d’água, como no exemplo da pequena ave diante do incêndio na floresta, para tornar feliz a humanidade pelo amor, pelo aperfeiçoamento dos costumes, pela tolerância, pela igualdade e pela FRATERNIDADE.