JURA EM PROSA E VERSO

PAIS E FILHOS - RELACIONAMENTO

SEXUALIDADE HUMANA

(Texto adaptado da coleção Escola de Pais em Ação)

É preciso discutir sobre o ser humano, sobre a sua sexualidade. Ele é, na essência, corpo e alma em busca da felicidade. E, sabemos que, nunca como agora, o homem e  a mulher foram tão violentados, tão fragmentados, tão levados a consumir um sexo "coisificado", tão desligado do amor e da natureza humana, tornando-se objetos e não sujeitos de sua sexualidade.

A sexualidade humana é uma fonte de energia psicossomática (alma e corpo) que integra a personalidade no seu sentido mais amplo de liberdade e capacidade de amar. dependendo de como for vivida, a sexualidade é um veículo para ajudar a construir a felicidade ou para gerar um comportamento incontrolável e destruidor da liberdade interior. Desgovernado, em busca apenas do prazer, o sexo é fonte de ações simplesmente instintivas, que traz conseqüências muitas vezes traumáticas, contrariando a natureza humana que envolve a razão, a liberdade de escolha, envolve amor; por isto a sexualidade deve ser livre, responsável, moral e amorosa. Não podemos cair no moralismo do passado, quando a maioria dos pais buscava controlar a sexualidade através de razões religiosas, sociais, dando ênfase ao erro, ao pecado, sem maiores considerações.

O que a sociedade de hoje propõe também não resolve, pois incentiva o comportamento do sexo pelo sexo, levando a permissividade. Há uma supervalorização do sexo em detrimento da sexualidade; muitos apelos consumistas, pressões de todo o tipo "todo o mundo faz..." etc...

O que fazer então?

Em primeiro lugar, precisamos estabelecer a diferença entre os conceitos de sexo e sexualidade: sexo é aquilo que seria a estrutura física, biológica, fisiológica do ser humano no sentido da reprodução, da perpetuação da espécie, idêntico ao dos animais. A sexualidade humana envolve reflexão e consciência. É diferente da natureza animal, que se rege só por instintos; o cio animal é para a procriação, para a perpetuação da espécie. O animal tem um determinismo absoluto que o faz agir sempre da mesma maneira programada. No homem, a sexualidade tem conotação de ato humano, é mais que uma estrutura biológica e fisiológica, com liberdade e vontade.

A sexualidade impregna todos os atos humanos como uma força integradora, em busca da felicidade, e não como uma forma de consumo e prazer.

A sexualidade é determinada pelo que somos devido ao sexo que temos. A masculinidade e a feminilidade são questões da educação na família, sofrendo a influência da sociedade em que vivemos. Vai-se formando e se desenvolvendo desde o começo da vida, mais pelo exemplo dos pais, por suas atitudes em relação ao gênero a que pertencem, feminino ou masculino, do que por suas palavras.

A sexualidade humana, vivida com amor e responsabilidade se torna motivo de alegria e felicidade. "Toda relação sexual só vale na medida em que o homem e a mulher respeitam a dignidade da pessoa a quem se unem".

O sexo sem amor impede a realização do ser humano. "O amor é uma troca, um conhecimento recíproco e não a posse de outro ser". A condição essencial a uma realização sexual afetiva é o encontro de duas pessoas que se amem. Através do compromisso é que devem assumir a tarefa de construir uma vida a dois, que se desenrola no dia-a-dia e onde cada um tem como projeto a felicidade do outro, que também será a sua felicidade.