JURA EM PROSA E VERSO

PAIS E FILHOS - RELACIONAMENTO

POTE RACHADO

Um carregador de água da Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara, a qual ele carregava atravessada nos ombros. Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro era perfeito. O perfeito chegava sempre cheio de água no final da longa jornada entre o poço e a casa do chefe; mas o pote rachado chegava apenas pela metade.

E foi assim por dois longos anos; diariamente, o carregador entregava um pote e meio de água na casa do seu chefe. O pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações. Porém o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição, passando a sentir-se um pobre miserável, por ser capaz de realizar apenas a metade da tarefa que lhe fora designada.

Um dia, quando juntos descansavam à beira do poço, o velho pote rachado, entristecido, assim falou para o homem: " - Amigo, estou realmente envergonhado e quero pedir o seu perdão. Nesses dois anos, eu somente entreguei metade da minha carga, pois essa rachadura do meu lado fez com que a água escorregasse para o chão. Por causa do meu maldito defeito, você foi prejudicado no seu trabalho e no recebimento do seu salário, pois você só recebia por um pote e meio de cada vez. Quero-lhe pedir uma coisa: substitua-me por outro pote, novo e sem rachaduras."

Após ouvir respeitosamente o velho pote, o homem levantou-se e assim respondeu: " - Amigo, por acaso você já notou as flores lindas do lado direito, ao longo do caminho, pelo qual sempre passamos? Notou também que somente existem flores no seu lado?   É que, ao conhecer o teu defeito, procurei tirar vantagem dele. Lancei sementes de flores diversas, no seu lado, e assim, enquanto voltávamos do poço, você as regavas. Por dois anos pude colher flores lindas e ornamentar a casa do meu chefe que me recompensava por isso. Se você não fosse como é essas flores não existiriam. Você não tem que me pedir perdão pois, na verdade, você é essencial e muito especial."

Nosso tema de hoje, CADA FILHO É ÚNICO nos leva a refletir que cada um dos nossos filhos é diferente dos demais, e também é diferente de todos os demais seres humanos do Planeta.

Cada um de nós tem defeitos e limites.

Todos nós, de alguma forma somos potes rachados. Porém, se permitirmos poderemos melhorar  a cada dia, burilar os nossos defeitos, em alguns casos até tirar vantagem deles transformando-os em qualidades, e praticar as virtudes.

Temos que aceitar, amar e respeitar nossos filhos como eles são. Podemos e devemos, isto sim, orientá-los, levá-los a reconhecer seus defeitos e incentivá-los no desejo de melhorar a cada dia.