JURA EM PROSA E VERSO

HISTORIAS DAS CIDADES BRASILEIRAS

HISTÓRIA DA CIDADE DE BOA VISTA/RR

Boa Vista

INFORMAÇÕES

FOTOS

Capital do Estado de Roraima, Boa Vista é uma das cidades mais belas da região norte de nosso imenso Brasil. Moderna, de clima tropical e temperaturas entre 20º C e 36º C, as margens do seu maior Símbolo, O Rio Branco. Foi em 1830, quando foi fundada, por Inácio Lopes de Magalhães, a primeira fazenda particular de gado bovino, a Fazenda Boa Vista, cuja sede ocupava o prédio onde hoje funciona o bar Meu Cantinho, no núcleo histórico da cidade.

Em 1858, a povoação foi elevada a categoria de vila e, em 9 de julho de 1890, passou a condição de cidade, sediando o recém criado município de Boa Vista, desmembrado de Moura, da então Província do Amazonas.

Limites
Norte: Municípios de Amajarí, Pacaraima e Normandia
Sul: Municípios de Mucajaí e Cantá
Leste: Municípios de Normandia e Bonfim
Oeste: Munciípio de Alto Alegre


Área

Área.....................................5.117,9 Km2
Participação em relação ao Estado...2,54 %

Criação do Município
Decreto nº 049, de 09 de julho de 1890

População
População......................200.568 habitantes
Densidade demográfica (hab./Km2)......27,00

Clima
Segundo Koeppen, o clima de Boa Vista pode ser caracterizado da seguinte forma: encontra-se na Zona Climática Tropical, sem que haja estação extremamente seca nem temperatura média mensal inferior a 18º C, trata-se pois de um clima tropical úmido do tipo "A", do subtipo AW: clima tropical chuvoso com predomínio de savanas, é quente e úmido, com estação chuvosa no verão;  o mês mais seco apresenta precipitação inferior a 60 mm.
A precipitação média é de 1.750 mm anuais.

Temperatura
A temperatura média anual é de 27,4º C. O intervalo de variação anual das temperaturas médias mensais situa-se entre 23,4º C e 32,4º C.
A amplitude da temperatura absoluta oscila entre a mínima de 21,0º C (julho) e a máxima de 36,6º C (março e dezembro).
A média da umidade relativa do ar é de 75%. A variação média mensal durante o ano situa-se entre 66% (fevereiro) e 86% (maio).

Relevo
Predomina superfície plana (90%), tendo relevo suavemente ondulado (10%) incluindo áreas de planície fluvial inundável.

Solos
O solo predominante é o lactossolo amarelo, que aparece com mais frequência na área de lavrado.
Outros tipos de solos encontrados são:
Areia Quartzosa Hidromórfica
Litólicos
Concrecionário Laterítico
Latossolo Vermelho Escuro
Areia Quartzosa
Solos Hidromórficos Cinzentos
Solos Aluviais
Latossolo Vermelho-Amarelo
Solo Hidromórfico Cinzento

Hidrografia
A bacia do Rio Branco domina praticamente toda a área do Estado e é o principal componente so sistema hidrográfico de Boa Vista, com o rio Cauamé, seu principal afluente, pela margem direita.
O rio Branco é o afluente mais importante da margem esquerda do rio Negro, seu curso segue a direção geral nordeste - sudeste, desde sua foz até a confluência dos rio Uraricoera e Tacutu, podendo ser dividido em três partes a saber: baixo, da foz até Caracaraí (338 km); médio, trecho das Cachoeiras (24 km) e; alto, a partir das corredeiras (172 km).
O regime hidrográfico da bacia do Rio Branco é definida por um período de cheia, nos meses de março a setembro, sendo a maior enchente no mês de junho. No período seco, às águas baixam consideravelmente, impossibilitando, inclusive, a navegação no baixo rio Branco.

Cobertura Vegetal
Boa Vista está localizada nos "Campos de Roraima", que se caracteriza por uma cobertura vegetal rasteira, descontínua, localmente denominada "lavrado" e pela ocorrência de espécies arbóreas, predominando o caimbé nas partes mais altas. Outra característica da cobertura vegetal se localiza nas galerias, ao longo da maior parte de igarapés, que são marcados por buritizais.

Estrutura Fundiária
Predominância de médias e grandes propriedades rurais, tendo em vista a pecuária ser a atividade rural principal.


Terras Indígenas

Área Total: 1.447,35 Km2
Participação em relação ao total do Município: 25,33 %

Pontencialidades
Estrutura produtiva está assentada no setor terciário. Por abrigar a Sede estadual, a geração de emprego é realizada, sobretudo, pelo setor público, que abriga o maior contingente, vindo a seguir o setor comercial.
A produção primária está assentada na pecuária e na cultura do arroz sequeiro não sendo tão expressiva em relação ao montante da produção estadual o que não acontece com o arroz irrigado. Outras culturas de importância são as de soja, milho, haja vista as áreas de cerrados existentes. O extrativismo no município é insignificante.
O setor secundário abriga quase totalidade da produção industrial do Estado, tendo como principais ramos: madeireiros, metalúrgico, alimentos, oleiro-cerâmico e construção civil.

Fonte: Secretaria de Planejamento do Estado de Roraima