JURA EM PROSA E VERSO

 

HUMOR - TEXTOS

 

PIADAS - 14 PIADAS

1 - HAVERÁ LADRÕES AQUI?

 

 
- Senhor, algo de muito estranho está acontecendo aqui. Há dois dias eu deixei o meu desodorante em cima da cama e quando eu fui pegá-lo ele tinha sumido. Ontem eu deixei as minhas meias no banheiro e elas também sumiram. Estou com uma sensação estranha. Isso está me incomodando demais. - Disse o detento.
- Sensação estranha! Qual? Perguntou o agente penitenciário.
- Acho que há ladrões aqui.

 
 

2 - Chorando de barriga cheia


 

 

 

 

 

 

 
Era final de tarde. Um jovem estava de passagem por uma grande praça no centro da cidade quando ele passou diante de um banco onde estava sentado um homem muito bem vestido e que chorava desesperadamente.

 
Comovido com aquela dolorosa situação o jovem resolveu conversar um pouco com o triste, mas distinto cavalheiro.

 
- Senhor! O que foi que aconteceu? É alguma desilusão amorosa? É algum problema em casa? A sua esposa o abandonou? Os seus filhos estão bem? Perguntou o empático moço.

 
- Não meu jovem! Eu tenho uma esposa linda, meus filhos são maravilhosos. A minha esposa me ama demais e eu também a amo loucamente. Os meus filhos são os melhores filhos que um homem poderia querer. Respondeu o inconsolável homem.

 
- Então só pode ser por motivo financeiro. A empresa do senhor faliu e o senhor está na miséria. É isso? Perguntou o interessado jovem.

 
- Também não meu rapaz! Eu tenho muitas empresas e elas, além de me darem muita alegria, me dão um lucro espetacular. Tenho ainda muito dinheiro investido em minas, em poços de petróleo, possuo muitos imóveis e fazendas... Enfim! Eu sou um homem muito rico. Esclareceu o enigmático senhor.

 
- Puxa vida! Quantas e quantas pessoas não possuem nada disso que o senhor tem e que, ainda sim, são extremamente felizes. O senhor deveria se envergonhar disso. Quantos não gostariam de estar aí no lugar do senhor e o senhor fica aí chorando e se lamentando. Francamente! O senhor não tem vergonha de ficar assim, chorando de barriga cheia? Perguntou o inconformado rapaz.

 
- Eu sei meu jovem! Eu sei de tudo isso! É por isso que eu choro. Eu não consigo me lembrar onde eu moro. Explicou o homem.

 

3 - A família em primeiro lugar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
- Quer dizer que foi o senhor quem roubou a loja de material de construção no sábado? O senhor roubou furadeiras, serras, parafusadeiras e outros artigos OK! Perguntou o magistrado.
- Meritíssimo, na verdade eu queria comprar e não roubar. Como eu não dispunha do dinheiro para comprar a mercadoria... Aí o senhor já sabe o final da história. Justificou o réu.
 - Meu amigo, você é um rapaz jovem cheio de vida. Você tinha um belo futuro pela frente. Você não pensou na sua família não.
- Seu juiz, eu até que pensei na mulher e nos garotos. Dei uma olhada ligeira por ali e não encontrei secador de cabelos e nem vídeo game, aí só levei esses bagulhos que o senhor falou aí.

 

4 - O que significa isso?


 
O marido dela havia ligado e, depois de dizer que o assunto era urgente, ele pediu para que ela voltasse mais cedo da Escola. Assim que ela chegou da faculdade já começou a chateação:

 
- Mariana! Que palhaçada é essa! Meu o que significa isso? Muito nervoso, perguntou o marido da moça mostrando para ela um buquê de rosas vermelhas que fora entregue instantes depois que ele tinha retornado do trabalho.

 
No cartão que acompanhava o belo buquê de rosas estava escrito:

 
“Má, estas lindas flores são somente para te lembrar que eu te amo De ++++++++. Beijos minha delícia!”

 
- O que é isso? Eu que o diga. Amauri, eu não tenho nada a ver com isso. Você sabe muito bem que eu não gosto desse tipo de desconfiança. Que brincadeira de mau gosto é essa? Estranhou a jovem.

 
- Brincadeira de mau gosto digo eu! Como se não bastasse essas flores como prova eu ainda sou obrigado a agüentar essa falsidade toda. Disse inconformado o homem.

 
- Amauri! Você não está vendo. Falou a esposa.
- Vendo o que? Eu só estou vendo a sua cara de pau. Como é que você pode ser tão sem vergonha assim? Pô meu! Eu sempre fiz de tudo para você e a senhora me dá uma facada dessas. Desabafou o transtornado Amauri.

 
- Mauri! Mauri! Olha bem! Isso só pode ser uma brincadeira. Aposto que isso é mais uma daquelas armações de mau gosto que o seu irmão costuma fazer. Você já ligou para ele? 

 
- Mariana! Não muda de assunto não! Não vem querer me enrolar porque eu não nasci para isso. Pode ir abrindo o bico. Quem é o safado? É alguém da firma? É alguém do futebol não é? Você tá saindo com o cafajeste do Alberto não é? Eu bem que desconfiava... Olhares pra cá... Olhares prá lá... Como eu pude ser tão inocente? Eu vou acabar com esse Alberto! Extremamente nervoso, falou o marido da mulher.

 
- Amauri! Eu estou muito decepcionada por você não acreditar em mim. Eu pensei que pelo menos o meu marido me conhecesse de verdade, mas estou vendo que não é nada disso. Reclamou a mulher.

 
- É! Eu é que pensei que conhecia a minha mulher quando na verdade eu estava morando era com uma estranha... Tééééée´!...Tééééée´! Enquanto o marido ainda falava a campainha do apartamento tocou.

 
- O que éééé! O marido foi educadamente atender a porta.

 
- Bem... Boa noite Seu Amauri! Queira me desculpar o incomodo, é que eu percebi que aquele porteiro novo que fica à tarde acabou entregando errada uma encomenda aqui no apartamento do senhor. O senhor recebeu um arranjo de flores não recebeu? Perguntou o porteiro.

 
- Recebi sim! Respondeu o homem

 
- Pois é! O rapaz é novo. Ele entregou errado. As flores são para a Dona Mariana do bloco B. É um arranjo muito bonito não é seu Amauri? Só entre nós: Esse namorado dela é caidinho por ela. Também, bonita e cheia da grana como ela até eu que sou mais bobo coloco o Don Juan no bolso. Brincou o porteiro. Ele é desses namorados super romântico que as mulheres gostam. Continuou o funcionário... Eu já estou até acostumado. Quase toda semana ele manda flores para ela. Esse cara é um verdadeiro amante à moda antiga. Bem! ...Seu Amauri, boa noite! Espero não ter aborrecido o senhor com esse engano. Comentou o porteiro.

 
- Mariana do bloco B!...Não! Está tudo bem Seu Antônio. Olha, aqui está o arranjo obrigado viu. Tchau!...Boa noite!...Passar bem! Disse o, agora, atencioso e educado marido.

 
Certamente, aquela noite não ia ser nada romântica para ele.

 

5 - Saindo da rotina

 
- Filho! Você precisa mudar. Disse a mãe do garoto.
 
- Mudar pra quê mãe? Eu estou super legal.
- Sei! Você ta legal é para se dar mal na vida. Depois que você acabou o colégio você não quer saber de mais nada. Agora fica aí o dia inteiro dentro desse quarto só comendo e dormindo.
Essa semana você ficou dormindo na segunda, ficou dormindo na terça, na quarta, na quinta e hoje que é sexta feira, você só saiu do quarto para ir ao banheiro. Ficou dormindo o dia inteirinho. Eu não sei como você aguenta?  Quero só ver o que você vai fazer na semana que vem. Desabafou a mulher.
- Pode ficar tranquila mãe. Na semana que vem eu vou fazer um lance diferente.
- Vai?
- Vou!...Quero sair dessa rotina.
- Que bacana filho! O que você vai fazer?
- Vou dormir na sala.

 

6 - A crônica mais engraçada do mundo - Pai é pai, mãe é mãe

 

 
Domingo de manhã, o patriarca da família estava tranquilamente na sala lendo o jornal. Era um domingo muito bonito e ensolarado e a casa estava feliz e muito agitada.
Entre uma notícia aqui, uma reportagem ali, as folhas do periódico freqüentemente se agitavam porque sempre passava alguém correndo... O pessoal realmente estava muito animado.
- Mãe você viu a minha blusa branca? Já secou as minhas meias? Perguntou a menina do meio.
- Manhê! Olha aqui o Daniel ele não me deixa jogar o vídeo game. Reclamou um dos garotos menores.
- Ô mãe! Deu pra senhora pegar aquele meu documento? A senhora vai fazer batata frita hoje? Perguntou o garoto mais velho.
Ele começou a pensar:
Puxa vida! Ser pai é algo meio ingrato. A gente faz de tudo para agradar os filhos, mas parece que a gente é invisível. Parece até que, para os filhos, a gente nem existe. Eles só têm olhos para a mãe. Isso de certa forma é uma coisa muito chata. Enquanto o pai ainda pensava sobre esses complexos assuntos familiares a menina mais velha o chamou:
 - Pai?
Imediatamente ele pensou:
Seu exagerado! Onde já se viu! Depois de velho deu pra ficar ai todo cheio de sensibilidades e achando que ninguém gosta de você... Que ninguém precisa mais de você... Era só o que faltava! Desse jeito vou acabar virando um velho rabugento e que só sabe reclamar...
- Pai!...Paiêêêê!...Acorda pai!...Tô falando com você. Disse novamente a menina.
- Oi filha? Você me chamou? Perguntou todo feliz o genitor, que, agora, por causa do inesperado chamado da moça, já não estava assim tão triste.
- Pai!...Você sabe onde está a mãe? Perguntou a simpática garota.

 
 

7 - Aí! meu estômago.

 
- Doutor, eu não queria vir aqui não. Só estou aqui porque a minha patroa não me deixa em paz, ela acha que essa minha dor de estômago tem a ver com um velho hábito que eu tenho de colocar pimenta na comida. Ôxente! Eu acho que a mulher tá ficando maluca. Reclamou o paciente.
- Muito bem! Quer dizer então que o senhor gosta duma pimentinha não é? Quantas pimentas o senhor costuma colocar na comida. Perguntou o médico.
- Só um vidrinho doutor!  


 
 

8 - Renda Extra

 
A simpática vovó entrou no banco e perguntou ao atendente:
- Meu jovem! Ontem quando eu cheguei em casa eu vi que, na minha conta, houve um engano de mais de 5000 reais.Eu fiquei muito incomodada com isso.
- Lamento senhora! Não podemos fazer nada. A senhora deveria ter reclamado ontem mesmo. Agora é tarde demais. É a norma do banco. Respondeu o atendente.
- Puxa vida! Obrigada meu filho! Eu estava mesmo precisando de um dinheirinho extra para comprar umas coisinhas. Disse a alegre vovó.

 

9 - O vendedor sincero

 
 
- Amor, como é mesmo que aquele vendedor falou desse carro aí que você comprou? Perguntou a esposa dele.
- Ele disse que era um carro de mulher. Um carro de garagem.
- É difícil ver um vendedor tão sincero como esse aí né benhê...
- Por que você está dizendo isso?
- Por que o carro é de garagem mesmo. Quando ele não está parado aqui na nossa garagem, ele está lá na garagem do mecânico.

 

10- Transporte alternativo

 

 
Dois amigos que estavam fazendo um tratamento psiquiátrico numa grande cidade próxima ao litoral e que, devido a grande evolução do tratamento deles, finalmente acabaram conseguindo uma licença no feriado prolongado. Para aproveitar a folga eles decidiram viajar para o interior do estado onde eles fariam uma visita para a mãe do primeiro amigo.
Compraram as passagens e embarcaram no ônibus em direção ao interior.
No meio do caminho, ao passar por uma estrada litorânea, o primeiro amigo comentou com o outro:
-Você viu com as montanhas, as nuvens, o mar e o sol são devagar quase parando?...Você reparou também como os coqueiros passam bem mais depressa do que eles?
- Não! Não tinha notado isso. É verdade! Olha lá a moleza deles. Puxa vida! Olha lá... Vummm!...Vummmm! Que velocidade desses coqueiros heim? Não dá nem para acompanhar....Vummm!...Vummm!
Bem, agora que você me chamou a atenção para isso eu tive uma excelente idéia. Comentou o segundo amigo.
- Idéia? Que idéia? Você vai fazer alguma coisa para o mar, as nuvens, a montanha e o sol andarem mais rápido? Perguntou o primeiro amigo.
- Não! Melhor que isso: vamos voltar de coqueiro!

 
 

11 - Um prato fino

 

 
- Garçom esse bife está mais duro que pneu de caminhão. Por favor, eu exijo que o senhor chame o gerente. Reclamou o insatisfeito cliente.
- Não vai adiantar senhor. Esclareceu o garçom.
- Como assim não vai adiantar. Claro que adianta. Eu conheço os meus direitos. Se ele não vier aqui eu vou reclamar no...
- Sinto muito Senhor!...Interompeu o profissional. Ele também não vai conseguir. Só esse mês ele já quebrou dois dentes tentando comer um bifinho bem parecido com esse que está aí no prato do senhor

12 -  Uma lua de mel e tanto

 
Na firma depois do casamento:
 

 
- Uau!...Luana, a sua lua de mel foi quente heim amiga. Você ficou de voltar no dia três e hoje é dia sete. Nossa amiga! A gente pensou que você tinha casado com um ricaço e que não voltaria mais. Você perdeu a noção do tempo? Conte-me tudo! O negócio lá estava animado heim? Em tom de brincadeira comentou a colega de trabalho.
- Mais ou menos amiga. Olha só isso aqui. Disse a recém-casada apontando com o dedo um leve inchaço na lateral da cabeça.
- O que é isso? Vixe! Isso é um galo? Menina, onde você arrumou isso?
- Ai amiga nem te conto. Quando o Alberto me pegou no colo para que nós pudéssemos fazer aquela tradicional entrada no nosso quarto do hotel você acredita que eu acabei batendo com força a cabeça lá no batente da porta. Depois eu fiquei com uma dor de cabeça tão forte, mas tão forte que eu tive que ser levada para o hospital.
- Sinto muito amiga! Aí que dó... É uma pena que tenha ocorrido esse acidente... Mas uma coisa você não pode negar.
- O quê?
- Você pode até não ter tido aquela lua de mel dos seus sonhos, mas você jamais vai poder dizer que você não viu estrelas. Brincou a "amiga"

 
 

13- Cadê o meu carro

 
 


  Quer dizer que, hoje, por volta das 14 horas, à senhora deixou o seu veiculo no estacionamento do shopping. Em seguida a senhora foi fazer umas compras e quando a senhora voltou o carro já não estava mais no local? Perguntou o policial.
 
- Isso mesmo seu policial! Que horror!...O shopping foi inaugurado há quinze dias e já está cheio de ladrões. O Brasil não tem mais jeito. Onde é que a gente vai parar com essa violência toda... E essa impunidade absurda...
- Senhora! Vamos confirmar a marca e o modelo do carro. O carro era um Fox Cinza, ano 2011, rodas esportivas, vidro...
- Isso mesmo!
- A senhora estacionou o carro no piso A correto?
- Sim senhor... A minha sorte é que eu tinha feito seguro. Seu policial já imaginou o que seria de mim se eu não tivesse feito o seguro? E quem não pode pagar o seguro? O que é que essas pessoas vão fazer?...Essa bandidagem está demais... Agora deram para roubar até a luz do dia... Isso é uma vergonha!...Antes tudo era diferente... A gente tinha mais paz, sossego as pessoas respeitavam mais a gente. Hoje!...Humf!...Só faltam roubar as meias da gente... - Senhora!...Senhora!... Um instante!...Acabaram de encontrar o veiculo da senhora. Ele está estacionado lá no shopping mesmo. Ele está no piso B. O segurança do shopping falou que o veiculo está lá desde o começo da tarde de hoje. Informou o policial ao receber um comunicado via rádio.

 
 
 

14- Chorando de barriga cheia

 

 

 

 

 

 

 


 
Era final de tarde. Um jovem estava de passagem por uma grande praça no centro da cidade quando ele passou diante de um banco onde estava sentado um homem muito bem vestido e que chorava desesperadamente.

 
Comovido com aquela dolorosa situação o jovem resolveu conversar um pouco com o triste, mas distinto cavalheiro.

 
- Senhor! O que foi que aconteceu? É alguma desilusão amorosa? É algum problema em casa? A sua esposa o abandonou? Os seus filhos estão bem? Perguntou o empático moço.

 
- Não meu jovem! Eu tenho uma esposa linda, meus filhos são maravilhosos. A minha esposa me ama demais e eu também a amo loucamente. Os meus filhos são os melhores filhos que um homem poderia querer. Respondeu o inconsolável homem.

 
- Então só pode ser por motivo financeiro. A empresa do senhor faliu e o senhor está na miséria. É isso? Perguntou o interessado jovem.

 
- Também não meu rapaz! Eu tenho muitas empresas e elas, além de me darem muita alegria, me dão um lucro espetacular. Tenho ainda muito dinheiro investido em minas, em poços de petróleo, possuo muitos imóveis e fazendas... Enfim! Eu sou um homem muito rico. Esclareceu o enigmático senhor.

 
- Puxa vida! Quantas e quantas pessoas não possuem nada disso que o senhor tem e que, ainda sim, são extremamente felizes. O senhor deveria se envergonhar disso. Quantos não gostariam de estar aí no lugar do senhor e o senhor fica aí chorando e se lamentando. Francamente! O senhor não tem vergonha de ficar assim, chorando de barriga cheia? Perguntou o inconformado rapaz.

 
- Eu sei meu jovem! Eu sei de tudo isso! É por isso que eu choro. Eu não consigo me lembrar onde eu moro. Explicou o homem.