JURA EM PROSA E VERSO

CRENDICES, SIMPATIAS, SUPERSTIÇÕES

CUCA

Cuca Vai-te, coca, sai daqui Para cima do telhado Deixa o menino Dormir sossegado

Nana, neném Que a cuca vem pegar Papai tá na roça Mamãe foi cozinhar.

A cuca é um papão, um ente fantástico que mete medo às crianças causando pavor. Sua aparência varia de lugar para lugar, mas a maioria das pessoas diz que ela tem a forma de uma velha, bem velha e enrugada, corcunda, cabeleira branca, toda desgrenhada, com aspecto assustador. Ela só aparece à noite, sempre procurando por aquelas crianças que fazem pirraça e não querem ir dormir cedo. Então, a cuca as coloca num saco, levando-as embora para não se sabe onde e faz com elas não se sabe bem o que, mas, com toda certeza, trata-se de algo muito terrível.

Ela também é chamada de coca ou coco e assombra crianças de Portugal, Espanha, alguns países africanos e tribos indígenas brasileiras. Em alguns lugares ela é um velho, em outros, se parece com um jacaré ou uma coruja.

Existem muitas canções e versos sobre a cuca. Luís da Câmara Cascudo, em Geografia dos mitos do Brasil, indica a seguinte cantiga, comum no Nordeste brasileira: "Dorme, neném, se não a cuca vem. Papai foi pra roça, mamãe logo vem."

Para saber mais:

• Cascudo, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro, Instituto Nacional do Livro, 1954 | 9ª edição: Rio de Janeiro, Ediouro, sd | Geografia dos mitos brasileiros. 2ª ed. São Paulo, Global Editora, 2002, p.203-207

• Amaral, Amadeu. O dialeto caipira. 4ª ed. São Paulo, Hucitec / Brasília, Instituto Nacional do Livro, 1981, p.121-122