JURA EM PROSA E VERSO

CONTOS ERÓTICOS

 

UMA EXCITANTE VIAGEM DE AVIÃO (By Safadinho)

 

Finalmente sento no meu assento, no avião. Que correria, quase perco o voo, e que cansaço! Passei a noite até uma da manha para preparar as malas e teve que me acordar de madrugada para ir no aeroporto. Finalmente estou sentado e me relaxar. Varias horas de voo estão me esperando, de São Paulo até Roma, mais de doze horas.

Estou na primeira classe, um pequeno luxo que posso me permitir, quero viajar comodo.

As aeromoças são gatas mesmo, impossível não reparar. Uma loirinha de cabelo comprido, com olhos verdes, um peito exuberante e uma bunda espetacular. A outra, mulata, com um corpo de rainha da bateria e ela também com um bumbum de sonho.

O avião decola e as aeromoças cumprem o normal serviço de bordo, lêem as normas de segurança indicando as saídas de emergência, distribuem bebidas e salgadinhos.

Quando a loira se inclina em minha direção para servir-me o café é impossível não espreitar através da blusa meio aberta para admirar seus seios maravilhosos.

Ela percebe que estou secando seu peto e me sorri maliciosamente.

Depois de um tempo o cara ao meu lado aperta o botão e chama a aeromoça. Em poucos minutos chega a loirinha mas é…

…está só de lingerie. Um sutiã de renda, preto, que deixa admirar toda a beleza do seu peito e uma calcinha tão minuscula que mal cobre sua piriquita e na parte de trás um fio no meio das nádegas, a bunda nua, gostosa.

Ela se senta no colo do passageiro ao meu lado e começa a beija-lo no pescoço, com volúpia. O cara pega sua bunda com as duas mãos, uma mão dela desliza no meio das pernas do cara e começa a massagear o pau que em breve fica duro, dá para perceber através das calças.

Eu observo, divertido e com tesão, parece de assistir a um filme porno ao vivo, e me pergunto até onde vão chegar.

Logo recebo a resposta, a moça abre a zipe e desliza a mão dentro de suas calças.

Continua beijando o cara enquanto acaricia seu pau sob sua cueca. O cara cada vez mais excitado, e eu também.

Abre as calças e puxa o cacete fora das cuecas, um pau duro e grande. Descobre a cabeça da vara e lentamente desliza para o chão, de joelhos no meio de suas pernas.

Paga um boquete no cara, chupa bem gostoso. Passa a língua em cada canto da vara, engole todo o pau empurrando-o até o fundo da garganta e sobe lentamente, sugando. Dá beijinhos e lambidinhas na cabeça e logo em seguida pega o cacete todo dentro da boca. Sobe e desce deixando o cara louco pelo prazer.

Eu assisto a cena, mais e mais animado. Também meu pau é duro e empurra sob calças.

A aeromoça percebe e, continuando a segurar na boca o pau do outro cara, abre minhas calças e pega meu cacete.

Cospe em sua mau e molha meu pau enquanto continua com o boquete no outro. Me masturba e chupa o pau do cara ao meu lado, depois chupa o meu e masturba ele.

Quando a respiração do cara se torna mais intensa e percebe que está prestes a gozar, deixa meu pau e corre para chupar o dele. O segura firme na boca enquanto ele goza e enche sua boca de porra. Lambe cada gota e ainda com algum pingo de porra nos lábios passa a chupar meu cacete que está prestes a gozar também.

A safada chupa bem gostoso, é claro que não está simplesmente cumprindo seu dever, ela gosta de chupar.

Em breve eu também encho sua boca de esperma. A vadia engole tudo, cada gotinha e lambe meu pau ainda duro deixando-o bem limpinho. Ah que delicia!

Uma mulher sentada na outra fila reclama que aqui tem diversão só para os homens. Logo chamam o segundo piloto que bota ela de quatro no corredor entre as duas filas de assentos, levanta sua saia e começa a fodê-la.

Tira o pau da buceta bem na hora de gozar e inunda a bunda da mulher com jatos de porra.

A aeromoça mulata não está ociosa. Enquanto isso, no outro lado da cabine do avião, dois passageiros estão pegando ela. Um está fodendo-a na xoxota enquanto outro está fodendo sua boca.

Um baixinho na primeira fila reclama. São por lo menos quinze minutos que está chamando alguem para pagar um boquete nele também mas ninguém está chegando para satisfazê-lo. O segundo piloto diz que ele está certo. As aeromoças devem dar as mesmas atenções para todos os passageiros. Merecem uma punição.

Chama as duas aeromoças e os ordena de colocar as mãos na parede da frente da cabine da aeronave, arqueando as costas, a fim de oferecer a bunda. Vão receber palmadas, primeiro dele e depois de todos os passageiros.

O homem começa a bater nelas com a mão aberta, um pouco em uma um pouco na outra. Os golpes acertam as nádegas das duas rápidos e inexoráveis, alguns no meio, outros só em uma nádega. A loira tem pele branca que logo vira vermelha, mas na mulata também os golpes começam a deixar marcas.

Os passageiros se dispõem em duas filas e ajudam o segundo piloto a administrar a punição.

O cara baixinho que reclamava diz que como recompensa quer comer o cu da mulata. Nem espera uma resposta, manda ela ficar de quatro, dá mais algumas palmadas na sua bunda e molha o pau com saliva, cospe no cu da moça e coloca a cabecinha na entrada. O cara é baixinho mas o pau é bem grande! Uma estocada e a cabeça entra no cu, em breve toda a vara está dentro e ele começa a se mover pra frente e para atrás, aumentando o ritmo, até quando emite um grito, para e fica com o cacete tudo dentro do cu da mulata. Sai dela e a porra lentamente escoa fora do seu cu.

A visão me deixa com tesão de novo. Pego a loira e mando ela cavalgar meu pau. Sobe e desce enquanto chupo seu peito.

Gostosa, sinto meu pau que esfrega contra as paredes da sua xoxota. A gata me faz enloquecer. Seguro ela pelas nádegas para controlar o ritmo da transa. Não aguento e encho sua bucetinha de porra quente.

– Senhor, acorde. Senhor, deve levantar seu assento. Vamos iniciar a fase de pouso, em breve estaremos em Roma.