JURA EM PROSA E VERSO

 

CONTOS ERÓTICOS

 

LUCIANA DANDO PRA UM NOVINHO DE 15

 

Autora: É a própria Luciana quem conta

 

Tenho atualmente poucos anos e meu nome é Luciana.

O que vou contar agora aconteceu há pouco tempo.Tenho 1:64 de altura e uma bunda muito gostosa. Pelo menos quem já comeu nunca reclamou. Bom... como isso aqui é um conto erótico, vamos ao que interessa.

Meu amigo JURA me liga e me fala que tem um novinho, cabaço, que tá querendo perder a virgindade.

- Topa? Perguntou ele.

Eu disse que iria pensar, pois eu tinha marcado de conhecer outro moleque.

No dia seguinte o JURA me liga novamente, com a mesma proposta.

Eu responde: Hoje não. Deixa pra outro dia JURA.

Aí o JURA me mandou uma foto do moleque e quando eu vi me deu vontade. Dispensei o  moleque que naquele dia estava comigo e fui em direção a casa do JURA para conhecer esse novinho.

Quando eu cheguei lá estavam o JURA, o novinho que se chama Luciano  e mais dois rapazes e duas moças.  (Vejam só a coincidência: Eu Luciana; ele Luciano!!!),. Aí o JURA me perguntou:

E aí... gostou do que viu?

Respondi com a cabeça que sim.

Ai os dois foram comprar lanche pra todo mundo.

Quando voltaram, lanchamos, e o JURA me falou:  - Vamos sair daqui de fininho, pois todos aqui, em breve, ficarão doidões e nem vão notar. Vamos pra casa da Anastácia, aqui pertinho.

Ai eu fui junto com o JURA e o Luciano.

 O JURA é muito safado e sempre arruma amigos pra mim. É um grande amigo.

 Quando chegamos lá demos dinheiro pra Anastácia e pedimos para ela ir fazer umas compras, acrescentando que podia demorar. Ela nos olhou com curiosidade, mas o dinheiro falou mais alto e, como aconteceu em outras vezes, ela saiu alegre e sorridente, deixando-nos a sós.

JURA chamou o Luciano, o meu novinho, e perguntou se ele queria aprender como se transa legal.

-Claro! Respondeu o novinho.

- Então eu te deixo com tua professora, falou JURA, e saiu para a cozinha, deixando-nos a sós.


Luciano perguntou:

-O que faço agora?


Eu mandei ele ficar me olhando e tirei toda minha roupa. Tirei devagar e rebolando bastante para satisfazer sua curiosidade e deixa-lo a vontade. Depois deixei ele pegar e chupar meus seios, passar a mão e acariciar minha buceta e também minha bundinha.

Depois mandei ele tirar também toda a roupa e apreciei que era, de fato, um jovem lindo.

Não esperei e cai de boca. Qual não foi minha surpresa! O pau dele, que era pra ser pequenininho e fino, na verdade já era grande e grosso, já estava duro mas endureceu ainda mais, na mesma hora, assim que eu o abocanhei e eu acabei tendo grande tesão chupando aquilo tudo com vontade e sofreguidão.

Aí eu peguei um creme que carrego sempre em minha bolsa, passei no meu anelzinho e também no pau dele.

Me posicionei em pé, e ele veio por traz, com força. No começo doeu um pouco, mais depois ficou muito bom. Eu dava varias reboladas e apertava o meu anelzinho no pau dele, mas ele não sabia bombar. Eu é que tinha que ficar rebolando e quando a coisa estava ficando boa, ele vai e goza.

Fiquei muito decepcionada.

Logo em seguida nós nos vestimos e eu gritei para o Ricardo, que estava na cozinha, que ele podia vir.

Ricardo me pediu para dar uma nota e eu disse que só valia um sete.

Eu pedi pro Ricardo dar umas aulinhas para o novinho, inclusive ensinar como se chupa uma buceta, como se comportar nas posições de sexo, e outras. Assim que ele estivesse pronto eu estaria esperando. Era só marcar outro encontro como este.

 

Até o próximo conto.


Beijos e Chupadas no pau para todos os leitores.