JURA EM PROSA E VERSO

CONTOS ERÓTICOS

Comi o cu da minha irmã Luciana

Jura em Prosa e Verso

 

 

É com Prazer que trazemos mais um conto erótico pornô pra galera. Dessa vez iremos acompanhar o relato erótico de um irmão fodendo o cu da sua irmã de criação gostosa, confiram. Advinha quem é o Irmão de criação da Luciana?

 Luciana é a minha irmãzinha de criação, gostosinha.

Lu, como eu a chamo na intimidade, e eu, tivemos contato sexual rapidinho, alguns dias atrás, mas sem conclusão.  Só beijinhos e amassos, por cima das roupas mesmo. No final, não conclusivo, deixamos a promessa de em outro dia nos encontrarmos para uma continuação.

Combinamos de nos encontrar depois do trabalho e por uma questão de ética ela disse eu aguardasse um pouco porque não iria para o encontro com a farda do trabalho. Na época, eu trabalhava como fiscal de faixa de uma Empresa de Transportes, então andava com uma calça grossa com a logomarca da empresa, botas e outros apetrechos. Tive que levar uma outra roupa pra o trabalho e trocar de roupa dentro do carro mesmo.

Como no carro de inspeção só havia uma equipe que era o chefe que dirigia o carro e um outro fiscal não teve problema. O Chefe pegava e trazia a gente todos os dias e nesse dia ele me deixou na frente  da Loja  onde minha irmãzinha trabalhava.

Cheguei um pouco mais cedo e fiquei aguardando minha irmã sair do trabalho. Ela trabalhava numa loja de importados e eu fiquei na entrada da Loja,  batendo um papo com alguém, e só esperando a minha irmã. Minha irmã Jéssica gosta de usar umas calças de cotton bel colocadinha que desenha seu corpo todo, e nesse dia ela estava ainda deliciosa, a calça mostrava sua pepeka inchadinha sua bunda empinada e suas belas colchas.

Minha irmãzinha Luciana é morena e, na época, ela usava o cabelo solto, encaracolado, que iria me proporcionar umas belas puxadas, na hora do sexo. Assim que saímos de lá da Lojas de Importados já fomos direto a um motel próximo. Chegamos lá eu já fui agarrando ela e dei aquele beijo sedento que beija a boca pescoço orelha. Eu estava com muito tesão e  não podíamos perder tempo.

Já fui logo tirando a roupa da minha maninha que me olhava com uma cara de safada mordendo os lábios. Naquele dia ela estava muito cheirosa e quando me abraçou roçou seus seios em meu peitoral o que me deixou maluco por aqueles peitos. Logo já fui dando um jeito de cair de boca naquelas tetas gostosinhas que ela tinha, ela me pediu calma e me levou ate a ducha.

Ela me deu um belo banho, me ensaboando todinho e curtindo cada pedacinho do meu corpo e eu o dela.

No banheiro mesmo ela se abaixou e começou a chupar meu pau, com o chuveiro ligado, escorrendo água pelo corpo. Que chupada deliciosa tinha a maninha! Ela enfiava tudo na boca, depois tirava lentamente, passando a língua na cabeça. Ás vezes ela apertava a cabeça com os dentes e sugava com os lábios. Eu quase que gozo em sua boquinha, mas antes que eu gozasse a puxei, beijei sua boca gostosa e ela ficou de costa pra mim, segurando o meu pau e foi guiando pro meio da sua bunda e eu disse:

- Já que pau amor?

-Já - e ela disse -  to loca pra sentir ele dentro de mim, só que hoje quero ele aqui e pra minha surpresa ela guiou o pau pra entradinha de seu cuzinho e não na boceta.

Como estávamos molhados e ela com a mão ensaboada o pau não teve muita dificuldade pra entrar .

Ela só deu um gritinho quando passou a cabeça, eu segurei ela pelos ombros e coloquei ele todo dentro, que cuzinho apertadinho quente gostoso que minha irmã tinha. Comecei a empurrar o caralho devagar sempre ouvindo seus gemidos de tesão que me enlouquecia ainda mais. A foda tava uma delicia e meter naquele cuzinho era demais, ela gemia alto e mandava eu meter mais, fui dando estocadas forte com uma pegada firme com uma das mãos estava segurando ela pelo ombro e a outra eu enfiei por baixo de sua nuca puxando seus cabelos para trás ao mesmo tempo que ia metendo meu pau em seu cuzinho.

A água quente caia sobre suas costas e escorria pelo seu corpo e se espalhava quando eu batia com meu corpo com o dela. Eu bombava com ainda mais força sempre a ouvindo gemer alto e falando:

– Vai maninho fode meu cu vai safado.  Você não queria foder sua irmã, agora vai soca vai cachorro mete com força na sua puta.

Eu nunca imaginei que aquela menina se tornaria essa mulher devassa e louca por rola dura que se tornou.

Em um determinado momento ela me pediu para me deitar no chão e assim veio por cima de costas pra min. Ela sentou gostoso no meu cacete que logo desapareceu dentro daquele cu gostoso.


Ela então se virou e me disse:


– Gostou de ver sua pica sumindo no meu cu, foi safado?


Abrindo bem a bunda ela galopou gostoso sempre gemendo alto e logo anunciou um gozo.


Ela praticamente começou a gritar!


– Vou gozar, vou gozar, mete vai, fode esse cu filho da puta.


– Mete mais forte vai, soca, soca, soca e logo berrou de prazer gozando gostoso.


Logo ela caiu sobre min com as pernas tremendo dizendo que tinha gozado gostoso me dando o cu.

Minha irmã então se levantou e para minha surpresa ficou de quatro se apoiando na pia e me disse:

– Vai filho da puta, goza no meu cu vai, mais não demora pois estou com tudo ardendo.

Comecei a novamente meter naquela bunda gostosa e logo não aguentei mais e anunciei o gozo, ela disse goza lá dentro vai enche meu cuzinho de porra vai maninho safado goza pra sua irmãzinha vai dei aquela gozada gostosa junto com um grito de prazer.

Acabei enchendo seu cu de porra quente onde logo depois fiquei de pernas bambas com tamanha foi a esporrada que dei.

Depois desse dia nos encontramos quase todos os dia, ate o dia do seu casamento, depois que ela casou foi morar com o marido em uma cidade próxima, e ficamos um pouco mais distante, porém pelo menos uma vez ao mês ela ainda me visita e sempre matamos a saudade.