JURA EM PROSA E VERSO

 

 

CONTOS ERÓTICOS

 

 

A mulher do porteiro!

 

(Conto recebido de um colaborador, via e mail, sem identificação do autor)

 

Olá, aqui é o JURA, aquele Em Prosa e Verso. Tenho  cabelos pretos, olhos castanhos escuros, porte físico atlético, nem gordo nem magro, namorando, porém, sempre dando minhas escapadas, pele branca, uso barba.

 

Como vocês irão perceber, tenho muitas aventuras relacionadas a sexo. Se vocês deixarem contarei algumas. Se desejarem podem entrar em contato para uma conversa mais íntima (jurandi@juraemprosaeverso.com.br).

Nesta aventura de hoje contarei como me relacionei com a mulher do porteiro que trabalhou uns dias na minha casa como diarista.


Vamos apresentar a vítima da vez, seu nome é Luciana, na época com seus 35 anos. Na verdade nem tinha um corpo espetacular, a bunda era um pouco grande demais, levemente gordinha, com uma cara de safada, pele negra, olhos escuros, cabelos pretos meio enrolados.

 

Casada com o porteiro há 10 anos, tendo com um mesmo uma filha de 8 anos. Luciana sempre se mostrou muito simpática, mostrando ter um bom coração, o que me surpreendeu foi descobrir que a mesma também era um furacão na cama.


Vamos então ao conto! Eu morava em um prédio com minha família, um tempo atrás, num apartamento de 2 quartos, nada espetacular, mas era bem aconchegante.

Minha mãe não tendo muito tempo por causa do serviço, decidiu que seria necessário contratar uma diarista para limpar a casa e que eu seria o responsável por acompanhar o serviço da moça e fazer o pagamento, pois ela não poderia estar em casa nos dias que a moça fosse lá.
Após um longo período procurando, por indicação da vizinha, minha mãe resolveu contratar a Luciana, esposa do porteiro, que possuía boas indicações e disponibilidade.

 

Eu então fiquei responsável por receber a moça no primeiro dia e mostrar a casa e dar as demais instruções.

 

Confesso que por não conhecer quem seria nossa diarista, fiquei desanimado com esse serviço, mas estava eu em casa de manhã aguardando, quando toca a campainha.


Quando abri a porta e vi a quase bela mulata  Luciana , confesso que fiquei sem palavras por um momento só admirando aquela mulher quase fantástica.

 

Após um momento, iniciei o percurso pela casa, tentando parecer simpático e ao mesmo tempo tentando dar umas espiadas naquela mulher que naquele momento achava que era quase gostosa, e usava um short curto de academia, um top que deixava seus peitos em evidência.


- Senhor Jura, - disse a quase linda Luciana - , o senhor é muito gentil, obrigado por mostrar a casa para mim.

 

- Estou a partir de agora aos seus serviços, vou iniciar meu trabalho, pode deixar que eu me viro.- continuou Luciana, me olhando fixamente e demonstrando respeito.


- Fique tranquila Luciana, estarei aqui perto caso precise de algo, aí só chamar. – disse dando uma última secada no corpo de quase lindo de Luciana.


Fui para o meu quarto, e procurei me distrair, mas não conseguia tirar aquela mulher da cabeça. Decidi então ver se ela precisava de algo e tomar uma água também.

Tamanha foi minha surpresa quando vi Luciana agachada limpando o chão, aquele bundão provocante, fiquei estático observando, já ficando excitado com aquela cena. Luciana quase linda, olhou por cima do ombro pra mim, com um olhar com mistura de desejo e cumplicidade.


- Tudo bem senhor Jura? Olhou algo que gostou foi? – Disse Luciana mostrando toda sua desenvoltura.


- Luciana, não posso negar que essa cena que surpreendi, de você agachada lavando o chão me deixou bem animado.


Ela então, mostrando ser uma mulher decidida, veio agachada em minha direção, com um olhar de desejo e sem nenhum pudor, baixou a minha bermuda, revelando meu pau de 18 cm, bem excitado, e já duro apontando pra ela. 


- Eita que isso tudo é pra mim? É hoje que eu me acabo nesse pau desse novinho gostoso – disse Luciana iniciando uma chupada bem gostosa, começando passando a língua pela cabecinha e depois indo bem fundo e chupando minhas bolas.


Após uma chupada, Luciana deitou no sofá e quase implorando pediu que eu a chupasse. Então tirei a roupa daquela mulata, revelando uma bucetinha depilada e bem rechonchuda, pingando de tesão.

 

Sem pensar duas vezes, comecei a chupar e lamber aquela delícia, começando devagar e acelerando aos poucos, enfiando um dedo e depois dois, fazendo aquela mulher delirar com a minha chupada, uma das minhas especialidades.
- Que macho gostoso, ai vou gozaaaaaarrrr, que delicia! – disse Luciana gozando tudo bem gostoso na minha boca.


Aproveitando aquela posição, sem pensar duas vezes comecei a penetrar aquela diarista safada de frente, metendo bem fundo e ir acelerando conforme Luciana gemia pedindo por mais. 


- Come assim vai, que delicia! Agora deixa eu cavalgar em você gostoso.


Deitei no sofá enquanto Luciana veio por cima, encaixando aquela buceta no meu pau.

 

Começou então um ritmo lento e foi acelerando aos poucos, gemendo alto sem se importar com os vizinhos.

 

Comecei a dar tapas fortes e puxar o cabelo de Luciana com vontade e sem pena.


- Ai que macho gostoso, vou gozar de novo - disse Luciana mostrando quão excitada estava.


Luciana então, gozou mais uma vez enquanto cavalgava meu pau, dando gritos e gemidos bem altos, demonstrando o quanto aquela diarista era boa e eficiente.

 

Depois disso botei Luciana de 4 e comecei a pincelar seu cuzinho com meu pau.


- Deixa eu comer esse cuzinho Luciana, deixa eu gozar gostoso nesse seu rabinho - disse meio que implorando pra ela que me deixasse.


Ela respondeu de pronto:

 

- Come logo meu rabo, macho gostoso, você merece. Nem meu marido comeu esse cuzinho, você será o primeiro então mete que eu quero tudo dentro de mim.


Peguei então o KY no meu quarto, passeio no meu pau e no seu cuzinho, começando lentamente uma penetração.

 

 Devido ao lubrificante, apesar de meu pau ser grosso entrou perfeitamente naquele rabinho virgem. Comecei a socar com força, arrancando gemidos daquela fêmea, dava tapas também e puxava seu cabelo.


- Goza pra mim, meu macho gostoso, enche o meu cuzinho de porra, dá tudo pra mim.


Sem aguentar mais, gozei tudo dentro do cuzinho de Cleide, jorrando bastante porra nela.

 

Após aquilo, tomamos um banho juntos, onde Luciana me chupou mais um pouco, antes de sair e se arrumar para ir embora, prometendo voltar outro dia, para limpar novamente. 


Após aquele dia, eu e Luciana metíamos sempre que a mesma ia lá em casa, isso durou uns 6 meses, até que tive que me mudar daquele apartamento e nunca mais vi minha Luciana depois disso. Espero que tenham gostado do conto.