JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

Vincent Van Gogh

Van Gogh foi criado em uma família protestante, uma família que era constituída de seus pais, suas irmãs Elisabeth, Anna e Wil; e seus dois irmãos Théo e Cor. Aos 16 anos, ele foi contratado por uma administradora de obras de arte. Três anos depois, ele foi transferido para Londres, e dois anos depois para Paris. Após essas viagens, Van Gogh perdeu todo o seu interesse na venda de obras, e resolveu seguir os passos do pai e se tornar um pastor, para evangelizar os pobres.

Seus pais pagaram seu curso na universidade de teologia de Amsterdã. Sem terminar o curso, Van Gogh viajou para a Bélgica, onde passou a ministrar para os mineradores. Ele começou a se identificar pelo estilo de vida simples desses mineradores, e elaborou vários desenhos a lápis deles. Essa fascinação de Gogh pela vida trabalhadora pode ser observada em trabalhos futuros do artista.

Depois de seu trabalho com os mineradores, o fato de Gogh ansiar por deixar para a humanidade algo importante, adicionado aos incentivos de seu irmão Théo, o levou a se tornar um artista. Mesmo sem um treinamento adequado, e sua baixa auto-estima, seu irmão Théo continuou a incentivá-lo, e ele se tornou um mestre das artes, sustentado financeiramente pelo irmão.

Depois de algum tempo, ele retornou à casa dos pais, aos 27 anos, dando continuidade ao seu auto-aprendizado em técnicas de pintura. No meio do processo, ele ia aos poucos dominando técnicas de pintura, como perspectiva, sombreamento e anatomia. Suas primeiras pinturas foram baseadas no estilo de vida dos mineradores belgas no qual ele teve contato.

Alguns meses depois ele deixou a residência dos pais e foi ter algumas aulas de pintura com seu primo Anton Mauve. Gogh até mesmo chegou a se envolver com uma prostituta grávida chamada Sien Hoomik, com o qual ele teve um filho. Ele continuou a aperfeiçoar suas técnicas, sempre que possível usando Hoomik como modelo de seus quadros. Uns anos depois ele ficou irritado com Hoomik, e resolveu cortar relações com ela. Por conta de sua falta de inspiração, ele resolve voltar à residência dos pais para continuar seu treinamento artístico. Lá, ele é introduzido pela primeira vez às obras de Jean-Franqois Millet, no qual fica fascinado e começa a basear seu estilo nas obras de Millet.

Na tentativa de ganhar destaque na comunidade artística, ele produz um famoso quadro chamado de “Os Comedores de Batatas”, obra que só ganharia seu devido reconhecimento anos após a morte de Van Gogh.

Devido ao fracasso de “Os Comedores de Batata”, ele decide que chegou a hora de receber ajuda profissional para melhorar suas habilidades artísticas. Ele deu algumas visitas à uma academia de arte em Artwerp, lugar no qual ele descobriu a arte de Peter Paul Rubens e de vários artistas japoneses.

Um ano depois ele foi para Paris morar com seu irmão Théo. A partir de então ele deixou de lado os tons escuros utilizado em “Os Comedores de Batatas” após descobrir que eram tons terrivelmente ultrapassados, e passou a utilizar cores mais claras e vibrantes, ao mesmo tempo em que suas obras passaram a ter uma grande influencia do impressionismo e pós-impressionismo.

Em Paris, Gogh conheceu vários artistas de renome, como Claude Monet, Paul Gauguin, Camille Pissarro e Emille Bernard. Gogh e Gauguin se tornam grandes amigos nessa época. Dois anos depois, Gogh se muda para Arles, na esperança de que seus novos amigos se juntem a ele para a criação de uma escola de arte. Gogh estava confiante com suas novas tendências absorvidas, como o uso de um estilo pessoal e novas combinações de cores.

Mais tarde, Gauguin de fato se juntou a Gogh, onde os dois passaram a morar junto em Arles. Foi lá que ele criou sua famosa coleção de pinturas: os Girassóis. Porém, essa prosperidade duraria por pouco tempo...

Nessa época, começaram a surgir os primeiros sinais da doença mental de Van Gogh, no qual ele tinha ataques de epilepsia, ataques psicóticos e desilusões. Ele chegou ao ponto de perseguir Gauguin com uma faca, ameaçando-o constantemente. Num certo dia ele voltou para sua casa em Arles e cortou sua própria orelha, e ofereceu-a a uma prostitua em forma de presente. Foi aí que Van Gogh foi temporariamente hospitalizado, e nesse meio tempo Gauguin aproveitou para rapidamente ir embora de Arles, fazendo com que o sonho de uma comunidade artística de Gogh fosse destruído para sempre.

Ele então internou a si mesmo no asilo em Saint Remey. Durante os dezenove meses que ele passou nessa clínica, ele produziu cerca de 200 quadros, dentre eles a obra “Noite Estrelada”, uma de suas obras mais influentes.

Após sair do asilo, ele manteve contato com seu irmão Théo. Ele continuou a produzir algumas obras, mas estava numa profunda depressão, achando que sua vida foi um verdadeiro fracasso, principalmente devido à ruína de seu sonho de formar sua comunidade artística.

Alguns meses depois, ele tenta o suicídio, atirando contra o próprio peito. Ele sobreviveu, mas faleceu três dias depois por não resistir ao ferimento.

Seu irmão Théo coletou a maioria das obras de Van Gogh em Paris, porém morreu seis meses após a morte de Gogh. Sua esposa viúva levou as obras de Gogh para a Holanda, onde de dedicou a dar as essas obras o reconhecimento merecido. Ela publicou as obras de Gogh e ele se tornou famoso quase que instantaneamente. Sua popularidade vem crescendo desde então.