JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

Pelé (1940-)

Edson Arantes do Nascimento, o PELÉ nascido em 1940 em três corações assumiu na década de 60 o manto de Didi.

 Começou a carreira no time amador do Bauru Atlético Clube o popular "Baquinho" , de onde saiu diretamente para o Santos, onde atuou por mais de duas décadas.

Encerrou a carreira, mas meses depois, optou por voltar para jogar no EUA onde o futebol vinha se tornando um ramo comercial lucrativo e por essa razão tinha regras diferentes, como o gramado sintético, o goleiro que usava o número ZERO e outras.

Além destas equipes, em jogos de exibição, atuou ainda pelo Vasco da Gama, pelo Flamengo e até mesmo pela seleção da Nigéria.

Reinou por duas décadas as de 60 e 70 e embora seja o quarto astro a surgir no futebol brasileiro ele fica com o primeiro lugar entre os maiores do Brasil, por uma série de motivos: o primeiro deles é o fato de ser um atleta completo, que lhe rendeu o título de "atleta do século XX"; se PELÉ nunca foi unânime em nenhum quesito futebolístico, ele era incontestavelmente o único que reunia em si TODOS os quesitos, pois chutava com qualquer pé, cabeceava, lançava, armava, defendia, atacava, batia faltas, escanteios, efetuava a marcação, tudo somado à uma fantástica explosão muscular, agilidade, velocidade e visão periférica superior à dos humanos normais, que associada à um golpe de vista, tornava-o um "olhos de lince".

E além de tudo, fazia gols...muitos gols.

OFICIALMENTE são 1199 gols marcados por Santos (1086), Seleção brasileira (95), Seleção Paulista (11), um combinado Vasco/Santos (6) e um gol pela Seleção do Sudeste.

Considerando-se gols marcados em partidas amadoras e não oficiais a marca passa pra 1281 gols, pois aí se acrescem 11 gols marcados pela seleção da Guarda Costeira, seis pela seleção das Forças Armadas, um pela seleção dos amigos de garrincha e 65 pelo Cosmos de Nova Iorque, pela liga dos EUA, que na época não era filiada à FIFA.

Chegou à seleção brasileira com apenas 17 anos e no ano de 1958 já era campeão mundial, onde deixou dois gols que ficaram entre os dez gols mais bonitos de todas as copas, em eleição realizada em 2002, o único marcado contra o País de Gales; e o da final, que marcou após um belíssimo chapéu no zagueiro sueco.

Eleito nos anos 80, o ATLETA DO SÉCULO, na primeira década do terceiro milênio foi feita uma outra eleição pela Internet onde quem venceu foi Maradona; contudo, percebendo as falhas em uma eleição virtual a FIFA fez duas eleições, a da Internet e uma entre atletas e jornalistas.

Uma vez mais Pelé foi absoluto.

Este jogador encantou o mundo até com lances que não terminaram em gols, como a cabeçada defendida por Banks ou a finta de corpo contra o goleiro uruguaio, ambos lances na copa de 70; às vezes era um monstro do drible e às vezes um veloz atacante, que fazia gols de canela, como qualquer perna de pau.

Fica como o maior jogador de futebol de todos os tempos, e os mortais que discutam entre si.