JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

Monteiro Lobato (José Bento Monteiro Lobato)

 

Escritor, romancista e jornalista brasileiro, nasceu em Taubaté, São Paulo no dia 18 de abril de 1882, e faleceu na capital de São Paulo em 4 de julho de 1948.

Seus primeiros estudos foram feitos em Taubaté, transferiu-se para São Paulo matriculando-se na Faculdade de Direito pela qual bacharelou-se em 1904, tendo anteriormente estudado no Instituto de Ciências e Letras de Sâo Paulo.

Exerceu o cargo de Promotor Público em Areias; deixando a promotoria, estabeleceu-se como fazendeiro em Buquira.

Nessa época começou a publicar os seus primeiros contos no jornal “O Estado de São Paulo”. Seu livro “Urupês” foi publicado em 1918.

Nesse livro está o personagem de sua criação: O Jeca Tatu.

Fundou a Editora “Monteiro Lobato”, fracassando nesse empreendimento, o escritor passou a dedicar-se à literatura infantil, podendo ser considerado o criador desse gênero no Brasil.

Como adido comercial viaja para os Estados Unidos da América do Norte, onde a prosperidade industrial do petróleo e do ferro despertou-lhe grande entusiasmo.

Regressando ao Brasil em 1932, escreveu o livro “América” contendo suas impressões.

Entusiasmado com o progresso industrial Norte-Americano, inicia uma campanha conscienciosa dos produtos de aço e petróleo brasileiro.

Em virtude dessa polêmica, esteve preso temporariamente.

Pelo muito que fez a nossa literatura, consagrou-se-lhe o “Dia do Livro”.

 Sua obra compreende 30 volumes, sendo 13 de assuntos gerais e 17 de literatura infantil.

Lobato conseguiu criar um mundo novo, repleto de personagens, especialmente na literatura infantil, simpáticos, que se tornam amigos da criança por toda a vida.

Criou tipos que tornaram célebres como D. Benta e Pedrinho.

De sua grande obra, os mais conhecidos são: “Urupês”, “A Barca de Gleyre”. “Caçadas de Pedrinho”, “Emília no País da Gramática” “Geografia de Dona Benta”, “O Saci” e “Viagem ao “Céu”.

Seu nome completo é José Bento Monteiro Lobato.