JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

Machado de Assis

 

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro a 21 de junho de 1839 e morreu na mesma cidade a 29 de setembro de 1908.

Jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo.

De origem humilde, mestiço, filho do operário Francisco José Machado de Assis e de Leopoldina Machado de Assis, perdeu a mãe muito cedo, pouco mais se conhecendo de sua infância e início da adolescência.

Foi criado no morro do Livramento e ajudou missa na igreja da Lampadosa.

Sem meios para cursos regulares, estudou como pôde , para ajudar seus pais, Machado de Assis empregou-se como aprendiz de tipógrafo na Imprensa Nacional.

Nessa época, começou a escrever os primeiros versos, alguns dos quais foram publicados no jornal A Marmota.

Em 1860, foi convidado por Quintino Bocaiúva para colaborar no Diário do Rio de Janeiro.

Machado de Assis é considerado um dos maiores talentos literários brasileiros de todos os tempos.

Suas obras são repassadas de um fino humor irônico, onde a elegância do estilo se confunde com a correção da linguagem.

O tom melancólico de muitos dos seus livros reflete, sem dúvida, a personalidade amargurada de um homem doente -- era epilético. A primeira vez que o seu nome apareceu num livro foi, como tradutor, em Queda Que as Mulheres Têm Para os Tolos.

Depois disso, publicou várias peças teatrais; a mais famosa foi Teatro, em 1863.

Porém, só no ano seguinte é que foi verdadeiramente assinalada a sua estréia literária, com o livro de poesia Crisálidas.

Em 1870 tornou a publicar um novo livro de poemas, Falenas, e outro intitulado Contos Fluminenses.

A partir daqui, o público e a crítica consagraram seus méritos de escritor.

 Tinha começado a vertiginosa subida da sua carreira literária, que só a morte pôde sustar.

O casamento com Carolina Augusta Xavier de Novais parece ter contribuído bastante para o seu amadurecimento intelectual.

 Foi companheira perfeita durante 35 anos, tendo-lhe revelado os clássicos portugueses e vários autores de língua inglesa.

Machado de Assis foi o principal fundador da Academia Brasileira de Letras e o seu primeiro presidente.

Ocupou a Cadeira N.º 23, cujo patrono é José de Alencar.

Obras JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS. Rio de Janeiro, RJ, 1839-1908. Obras principais - poesia: Crisálidas, 1864; Falenas, 1870; Americanas, 1875; Poesias Completas, 1901 - conto: Contos Fluminenses, 1870; Histórias da Meia-Noite, 1873; Papéis Avulsos, 1882; Histórias sem Data, 1884; Várias Histórias, 1896 - novela: Casa Velha, 1944 (póstuma) - romance: Ressurreição, 1872; A Mão e a Luva, 1874; Helena, 1876; Iaiá Garcia, 1878; Memórias Póstumas de Brás Cubas, 1881; Quincas Borba, 1891; Dom Casmurro, 1899; Esaú e Jacó, 1904; Memorial de Aires, 1908 - teatro: Desencantos, 1861; Teatro: O Caminho da Porta e O Protocolo, 1863; Quase Ministro, 1864; Os Deuses de Casaca, 1866; Uma Ode a Anacreonte, 1870; O Bote de Rapé, 1878; Antes da Missa, 1878; Tu Só, Tu, Puro Amor, 1881; Não Consultes Médico, 1896; Lição de Botânica, 1906 - crônica e crítica literária: Queda que as Mulheres Têm para os Tolos, 1861; Páginas Recolhidas, 1899; Relíquias da Casa Velha, 1906; Outras Relíquias, 1910 (póstuma); Crítica, 1910 (póstuma); A Semana, 1914 (póstuma); Novas Relíquias, 1932 (póstuma); etc