JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

José do Patrocínio

José Carlos do Patrocínio.

Orador e jornalista, nasceu em Campos Rio de Janeiro, no dia 9 de outubro de 1853 e faleceu no dia 29 de janeiro do ano de 1905 no Rio de Janeiro.

Com a idade de 13 anos mudou-se para o Rio de Janeiro, onde arranjou serviço na Santa Casa de Misericórdia.

Matriculou-se na Faculdade de Medicina e fez o curso de farmácia.

Ao receber o seu diploma arranjou serviço na Gazeta de Notícia.

Em 1881 tomou dinheiro emprestado do seu sogro que era capitão, e com o dinheiro comprou o jornal “Gazeta da Tarde”, começando nele a batalha do abolicionismo, incendiado pelos pensamentos porque batalhava.

Efetuou confabulação pública que favoreceu a fuga dos escravos, constituiu centros abolicionistas em algumas localidades do Brasil.

Recebeu os frutos do seu trabalho e despreendimento no dia 13 de maio de 1888, ao ser confirmada a Lei Áurea.

Era o epílogo de grande batalha contra a escravidão no Brasil; batalha esta da qual Patrocínio foi um dos grandes guerreiros.

 Veio a República, e Patrocínio continuou nas suas atividades sociais nas páginas do jornal “A Cidade do Rio”, que havia criado.

Batalhou pela aplicação de um programa generoso e franco, imputado de um movimento contra o Marechal FIoriano Peixoto.

 No ano de 1892, foi deportado para Cacuí no Amazonas.

Já no final de sua vida, passou a querer uma atividade diferente das passadas; a navegação aérea.

Construiu um balão “O Santa Cruz”. Esse empreendimento todavia não conseguiu vingar.

Compôs ainda três livros: “Mata Coqueiro”, “Os Retirantes” e o “Pedro Espanhol”, um contra a pena de morte, os outros dois falam de problemas sociais.

Seu nome completo: José Carlos do Patrocínio.