JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

CHE GUEVARA

Ernesto Rafael Guevara de la Serna, mais conhecido por Che Guevara ou El Che Nasceu em Rosário na Argentina 14 de Maio de 1928 — La Higuera, Bolívia, 9 de Outubro de 1967) foi um dos mais famosos revolucionários marxistas da História.

CURIOSIDADE:

Che Guevara nasceu no dia 14 de Maio e não 14 de Junho como oficialmente a data tornou-se conhecida. A data precisa foi descoberta pelo escritor John Lee Anderson ao entrevistar uma das amigas da mãe de Che, que lhe revelou que à época do nascimento dele, sua mãe Célia, teve de adiantar a data em um mês porque ela havia se casado grávida e, se não o fizesse, sua família descobriria o seu segredo.

Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/Che_Guevara"

Em 1952, com o seu amigo Alberto Granado, bioquímico, Guevara realiza um sonho: atravessa a América do Sul numa velha moto Norton 500cc conhecida pelo nome de La Poderosa. Nessa viagem, Guevara começa a ver a América do Sul como uma única entidade econômica e cultural que precisa unir-se.

Ele vê a miséria e a impotência das massas e conclui que a única maneira de acabar com as desigualdades sociais é a revolução. De volta à Argentina, ele acaba os estudos de Medicina em 1953 e passa a se dedicar à política.

Em 1954, no México através de Ñico López, um amigo das lutas na Guatemala, ele conhece Raul Castro que logo o apresentaria a seu irmão mais velho, Fidel Castro. Este último organizou e lidera o movimento guerrilheiro 26 de Julho, ou M26, em referência a Jose Martí e que tem por objetivo tomar o poder em Cuba. Guevara faz parte dos 82 homens que partem para Cuba em 1956 com Fidel Castro e dos quais só 12 sobreviveriam (número que levanta controvérsias; alguns dizem que Fidel insiste neste número para associá-los aos 12 discípulos de Cristo).

É durante esse ataque que Che, o médico do grupo, larga a maleta médica por uma caixa de munição de um companheiro abatido, um momento que tempos depois ele iria definir como o marco divisor na sua transição de doutor a combatente.

Em seguida eles se instalam nas montanhas da Sierra Maestra de onde iniciam a guerrilha contra o ditador cubano Fulgêncio Batista, que era apoiado pelos Estados Unidos.

Os rebeldes lentamente se fortalecem, aumentando seu armamento e angariando apoio e o recrutamento de muitos camponeses, intelectuais e trabalhadores urbanos. Guevara mostra grande coragem, talento em combate, e crueldade com os inimigos e logo se torna um dos homens de confiança de Fidel Castro. Guevara toma a responsabilidade pela execução de informantes, insubordinados, desertores e espiões dentro do exército revolucionário. Ele pessoalmente executa Eutimio Guerra, suspeito de ser informante de Batista, com um único disparo de sua pistola calibre 7.65 mm.

Após a vitória dos revolucionários em 1959, Batista exila-se em São Domingos e instaura-se um regime comunista em Cuba, comandado por Fidel Castro.

Guevara, então braço direito de Fidel, torna-se um dos principais dirigentes do novo estado cubano: Embaixador, Presidente do Banco Nacional, Ministro da Indústria. Mas rapidamente, apesar de marxista-leninista convicto, ele opõe-se à URSS, então principal força de apoio ao regime cubano e é progressivamente deixado de lado por Fidel Castro.

Che esteve oficialmente no Brasil em abril de 1961, quando foi condecorado pelo então Presidente Jânio Quadros com a Ordem do Cruzeiro do Sul.

Em 1965, Guevara deixa Cuba para propagar os ideais da revolução cubana pelo mundo com ajuda de voluntários de vários países latino americanos.

Ele parte primeiramente para o Congo, na África (onde encontra-se com Kabila mas em quem ele não tem confiança). Após o fracasso dos combates no Congo, parte para a Bolívia, onde tenta estabelecer uma base guerrilheira para lutar pela unificação dos países da América Latina. Mas enfrenta dificuldades com o terreno desconhecido e em conquistar a confiança dos camponeses. É finalmente cercado e capturado em 8 de outubro de 1967 e executado no dia seguinte por soldados bolivianos na aldeia de La Higuera, possivelmente sob as ordens de agentes da CIA, agência de inteligência estado-unidense. Os boatos que cercaram a execução de Che Guevara levantaram dúvidas sobre a identidade real do guerrilheiro, que utilizava documentos uruguaios falsos. A confusão estabelecida em torno do caso culminou no desaparecimento do seu corpo, que só foi encontrado trinta anos depois.

A imagem do Che é mítica em toda a América Latina. Na localidade onde foi assassinado em 1967 ergue-se atualmente uma estátua em sua homenagem. Passou a ser conhecido na região como "San Ernesto de La Higuera" e é cultuado como santo pela população local.

Em 1997 seus restos mortais foram encontrados por pesquisadores numa vala comum, junto a outras ossadas, na cidade de Vallegrande, a cerca de 50 Km de onde ocorreu a sua execução. Sua ossada estava sem as mãos, que segundo consta em relatos não oficiais, teriam sido amputadas para o reconhecimento de sua identidade logo após a sua morte. Seus restos mortais foram transferidos para Cuba, onde em 17 de outubro deste mesmo ano são enterrados com honrarias de Estado na presença de membros da sua família e do líder cubano e antigo companheiro de revolução Fidel Castro.

O atual regime cubano ainda se vale da imagem de Che Guevara para manter uma imagem positiva junto à sociedade.