JURA EM PROSA E VERSO

BIOGRAFIAS DE PESSOAS FAMOSAS

CASTRO ALVES

Antônio de Castro Alves nasceu em 1847, na Bahia, na cidade de Curralinho e morreu em Salvador. Tornou-se famoso e admirado, quando veio para Recife para estudar na Faculdade de Direito. A fama surgiu por causa de seus poemas e de suas polêmicas com Tobias Barreto, poeta e pensador nordestino, que estudava na mesma faculdade.

Em 1863, aos 16 anos, conheceu a atriz portuguesa Eugênia Câmara e logo se tornaram amantes. O romance durou cinco anos, apesar de Eugênia ser oito anos mais velha do que o poeta.

Castro Alves se destacou por ser um ferrenho defensor das causas liberais. Tinha um estilo grandiloqüente e fazia questão de declamar seus versos em festas e reuniões, incentivando o abolicionismo. Por essa luta ficou conhecido como "Poeta dos Escravos".

Em 1868, ele e Eugênia vêm para São Paulo, e o poeta matricula-se na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Nesta época, a atriz rompe definitivamente com o escritor. Em meio à depressão, o poeta tenta se distrair caçando pelos bairros da cidade e sofre um acidente: sua espingarda dispara e o tiro acerta seu pé esquerdo. É levado para ser operado no Rio de Janeiro, mas a gangrena o obriga a amputar a perna.

Em 1869, já tuberculoso, volta a Curralinho, cidade que hoje tem o nome do escritor, recupera-se e, um ano depois se dirige a Salvador, onde conhece Agnese Trinci Murri, sua última paixão. Falece a 6 de julho de 1871, aos 24 anos.

Espumas flutuantes, de 1870, foi o único livro de Castro Alves publicado em vida.